Polícia

Amigo de rapaz morto com pelo menos 3 tiros conseguiu correr durante execução

Após o homicídio de Diego da Silva Magalhães, de 20 anos, em um terreno na Rua Radra Mamede Alli na tarde desta quinta-feira (25), o amigo que estava com ele foi encontrado pela polícia e prestará depoimento. O adolescente de 15 anos voltava de uma partida de futebol com Diego quando eles foram abordados pelo […]

Renata Portela Publicado em 25/03/2021, às 16h49 - Atualizado em 26/03/2021, às 08h36

Vítima foi assassinada a tiros (Foto: Danielle Errobidarte, Midiamax)
Vítima foi assassinada a tiros (Foto: Danielle Errobidarte, Midiamax) - Vítima foi assassinada a tiros (Foto: Danielle Errobidarte, Midiamax)

Após o homicídio de Diego da Silva Magalhães, de 20 anos, em um terreno na Rua Radra Mamede Alli na tarde desta quinta-feira (25), o amigo que estava com ele foi encontrado pela polícia e prestará depoimento. O adolescente de 15 anos voltava de uma partida de futebol com Diego quando eles foram abordados pelo autor do crime.

Segundo o delegado Leandro Lacerda, plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Cepol, o adolescente será encaminhado para prestar depoimento. Inicialmente, a testemunha contou que voltava do jogo de futebol pela trilha que passa no terreno, na Rua Radra Mamede Alli.

Amigo de rapaz morto com pelo menos 3 tiros conseguiu correr durante execução
Delegado Leandro, da Depac (Foto: Danielle Errobidarte, Midiamax)

Em determinado momento, dois homens se aproximaram em uma motocicleta, o garupa desceu armado e ordenou que Diego e o amigo fossem mais para dentro do terreno. Eles obedeceram, quando o suspeito então disse “Deita, deita, perdeu, perdeu”. Diego então foi atingido pelos três disparos, enquanto o adolescente conseguiu correr.

A polícia apura se o jovem também era alvo do assassino. Bastante nervoso e traumatizado, ele prestará outros esclarecimentos na delegacia. Ainda conforme o delegado, Diego tinha uma rixa antiga. A Polícia investigará se a vítima seria autora de um incêndio em uma residência. O suspeito do homicídio já foi identificado e é procurado pela polícia.

A irmã de Diego relatou que, apesar das inúmeras passagens pela polícia, o rapaz tinha deixado o crime. Ele estava trabalhando com entrega de comida por aplicativo e morava junto com a irmã. Diego já respondeu por crimes como roubo, furto e tráfico de drogas.

Jornal Midiamax