Polícia

10 anos depois, acusado de matar homem espancado e asfixiado é absolvido

Foi a júri popular nesta sexta-feira (5) Gilberto Ferreira da Silva, o Beto, de 47 anos, pelo homicídio de Aristides Cavalheiro Lopes. O crime aconteceu em 23 de maio de 2011, por volta das 21h30, no Jardim Noroeste. Segundo detalhes da denúncia, naquele dia 12 de maio Gilberto teria agido em conjunto com outros homens, […]

Renata Portela Publicado em 05/03/2021, às 16h36

Plenário do Tribunal do Júri em Campo Grande. Foto: Divulgação
Plenário do Tribunal do Júri em Campo Grande. Foto: Divulgação - Plenário do Tribunal do Júri em Campo Grande. Foto: Divulgação

Foi a júri popular nesta sexta-feira (5) Gilberto Ferreira da Silva, o Beto, de 47 anos, pelo homicídio de Aristides Cavalheiro Lopes. O crime aconteceu em 23 de maio de 2011, por volta das 21h30, no Jardim Noroeste.

Segundo detalhes da denúncia, naquele dia 12 de maio Gilberto teria agido em conjunto com outros homens, que buscaram a vítima em casa e a levaram até outro local, onde ocorreram as agressões. Aristides foi agredido a socos e chutes e ainda asfixiado.

Por conta do espancamento e da asfixia, ele acabou morrendo. Consta na denúncia que por ordem de Gilberto o grupo teria colocado o corpo da vítima em um saco de coleta de material reciclável. O corpo foi desovado na região de aterro do Jardim Noroeste, onde foi encontrado depois.

No decorrer do processo, os outros denunciados foram impronunciados, restando apenas a Gilberto o julgamento em júri popular. Nesta sexta-feira, o Conselho de Sentença absolveu o réu, que estava preso em Corumbá, e o alvará de soltura foi expedido pelo juiz Aluizio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri.

Jornal Midiamax