Vida ‘luxuosa’ de ex-diretor de presídio chama a atenção da polícia durante buscas

Suspeita é de que ele tenha recebido vantagens financeiras para ajudar na fuga

A Polícia Nacional do Paraguai realizou nesta quinta-feira (23), cumprimento de mandado de buscas na casa de Cristian González, ex-diretor da Penitenciária Regional de Pedro Juan Caballero, de onde 76 presos da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) fugiram no último domingo. A suspeita é de que o grupo tenha recebido apoio de agentes na fuga. O ex-diretor e servidores foram presos em operação no início da semana.

De acordo com o jornal ABC Color, durante as buscas, chamou a atenção dos oficiais a maneira luxuosa em que vivia o ex-diretor. Ele residia em um imóvel bem estruturado, com piscina. A ação faz parte das investigações iniciadas no domingo. O fiscal Osmar Legal, responsável pelo cumprimento da ordem judicial, disse que o objetivo foi localizar indícios de envolvimento dele com os fugitivos da facção.

As informações colhidas no local foram repassadas ao Ministério Público. Ao menos 32 pessoas foram denunciadas por suspeita de envolvimento com a fuga. Não é descartado que o ex-diretor tenha recebido vantagens do crime organizado para facilitar a fuga. Informações apontam que presos mais ricos saíram tranquilamente, pela porta da frente.

Lista definitiva de fugitivos

Após problemas na divulgação da lista de nomes dos fugitivos do presídio, uma nova lista foi divulgada. Ainda são 75 os que fugiram, porém constam 76 na lista, já que um deles foi detido ainda nas mediações da penitenciária na madrugada de domingo (19). Com ele, são ao menos oito os recapturados pela polícia no total.

São eles Del Rosario Gómez Armoa, Derlis Marqués González, Sabio Darío González Figueredo, Eduardo Alves Da Cruz, Ronal Francisco Brítez López, Orlando Manuel Torres Verón, José Enrique Ullón Duarte.

Mais notícias