Operação Enterprise apreende documentos e leva para sede da PF em Campo Grande

Organização criminosa que teria patrimônio de R$ 400 milhões é alvo da operação contra o tráfico e lavagem de dinheiro

Aproximadamente cinco carros da Polícia Federal com vários malotes chegaram a superintendência, na manhã desta segunda-feira (23), durante a deflagração da Operação Enterprise que cumpre mandados em Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso, Pará, Minas GeraisRio Grande do Norte, e . Foram cumpridos 215 mandados.

Não se sabe ainda os materiais apreendidos e o volume de documentos levados para a sede da Polícia Federal em Capo Grande, na manhã desta segunda (23). A operação cumpre 149 mandados de busca e 66 mandados de prisão. O alvo é uma organização criminosa que enviava drogas para a Europa.

Foram sequestrados 400 milhões em imóveis, veículos de luxo, aeronaves, havendo a expectativa de que novos bens sejam identificados após o cumprimento dos mandados de busca e apreensão. A ação é conjunta junto da dando sequência ao cumprimento de diretrizes de descapitalização patrimonial, prisão de lideranças e cooperação internacional sendo a maior operação do ano no combate à lavagem de dinheiro do tráfico de drogas e na apreensão de cocaína nos portos brasileiros, já que a organização é especializada no envio de cocaína para a Europa.

O esquema utilizado pelos criminosos consistia na lavagem de bens e ativos multimilionários no Brasil e no exterior com uso de várias interpostas pessoas ‘laranjas’ e empresas fictícias, para dar aparência lícita ao lucro do tráfico. Cerca de 670 Policiais Federais e mais 30 servidores da .

Nome da Operação

O nome da operação faz alusão à dimensão da organização criminosa investigada, que atua como um grande empreendimento internacional na lavagem de dinheiro e exportação de cocaína, o que trouxe alto grau de complexidade à investigação policial.

Operação Enterprise apreende documentos e leva para sede da PF em Campo Grande
Mais notícias