Unei Dom Bosco vai passar por ‘raio-x’ após motim, agressão e fuga

Militares da reserva serão convocados para trabalharem em conjunto com os agentes

A Unei (Unidade Educacional de Internação) Dom Bosco, em Campo Grande deve passar por uma avaliação e visita depois do motim e fuga de 26 adolescentes, em dezembro do ano passado, segundo informou o secretário da Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública) Antônio Carlos Videira, em coletiva nesta terça-feira (14).

De acordo com Videira, as unidades de internação de menores infratores que foram construídas há mais de 10 anos devem receber uma maior atenção, na tentativa detectar falhas para que sejam solucionadas. Segundo o secretário não há deficiência do número de agentes socioeducativos para o número de internos, já que existe um agente para cada interno.

A visita para a unidade deve acontecer na próxima quinta-feira (16),“Vamos estudar a readequação das escalas dos agentes, que ainda devem receber uma capacitação para de forma adequada lidar na contenção dos internos”, disse o secretário. Militares da reserva estariam sendo convocados para trabalhar em conjunto com os agentes socioeducativos.

Escalas dos agentes devem ser readequadas (Renata Portela, Midiamax)

No último dia 9 deste mês, um pente-fino foi feito na Unei e no mesmo dia foi anunciada a dispensa do diretor-adjunto da unidade. No dia 16 de dezembro de 2019, a unidade foi palco de um motim e fuga de 26 adolescentes. Atualmente estão abrigados na unidade 82 internos. Na época da fuga, os agentes socioeducativos acabaram agredidos pelos internos.

Mas, os agentes reclamam da defasagem de pessoal para trabalhar nas unidades de internação afirmando que até insumos básicos, como produtos de limpeza faltam na unidade e que eles precisam levar de casa.

No dia 6 de janeiro deste ano, um princípio de motim na Unei Los Angeles mobilizou equipes do Batalhão de Choque, e dez adolescentes foram levados para o Cepol (Centro Integrado de Polícia Especializada) em quatro viaturas.

Mais notícias