‘Tudo o que arrisquei foi em vão’, disse imigrante antes de morrer em contêiner

Mãe pediu que restos mortais do filho sejam encaminhados para sepultamento

Antes de embarcar no contêiner onde acabou morrendo, o imigrante argelino Sidahmed Ouherhe encaminhou um áudio a familiares, relatando como a situação que ele e os demais estavam era perigosa. “Tudo o que arrisquei foi em vão”, disse na mensagem enviada da Sérvia. Ele e mais seis foram encontrados mortos na semana passada, no Paraguai.

Conforme divulgado pelo jornal ABC Color, o relato mostrava a dura realidade na busca por uma vida melhor. “Sem sinal, sem wi-fi. Há pessoas que não são nada amigáveis. Que Deus me ajude. Deus me ajudou e encontrei wi-fi em um bar e pude ligar para você. Eles nos trouxeram para a Sérvia. A minha cabeça vai explodir. Tudo o que arrisquei foi em vão”, lamentou Sidahmed.

A mãe dele pediu às autoridades do e da Argélia para que pudesse sepultar os restos mortais do filho. Além dele, também morreram Ahmed Belmiloudi, Mohamed Hadoun, Rachid Sanhaji, Said Rachir, Zugar Hamza e Yeza Aymen, sendo os quatro primeiros do Marrocos, o seguinte da Argélia e o último do Egito. 

Os corpos foram encontrados dentro de um contêiner que havia sido despachado de navio da Sérvia, em Julho. O objetivo das vítimas era chega à Itália ou . Na semana passada, o empresário que encomendou uma carga de fertilizantes da , se deparou com os corpos ao abrir o contêiner. 

'Tudo o que arrisquei foi em vão', disse imigrante antes de morrer em contêiner
Mais notícias