Traficantes cultivavam 33 toneladas de maconha avaliadas em R$ 3,6 milhões

A suspeita é que depois de preparada, a droga seria enviada ao Brasil

A Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) do Paraguai destruiu nesta segunda-feira (27) plantação com 33 toneladas de maconha cultivada na Colônia Rincón de Julio, no Estado de Amambay, que fica na fronteira com Mato Grosso do Sul. O prejuízo ao crime organizado é de aproximadamente R$ 3,6 milhões. A suspeita é que depois de preparada, a droga seria enviada ao Brasil via território sul-mato-grossense.

Além de agentes da Senad, também participaram o Ministério Público e forças especiais. As plantações foram localizadas em uma fazenda usada como centro de produção. Ao todo, eram quatro lotes com a erva. No local foram desmontados três acampamentos que serviam como depósito. Apesar da grande quantidade de maconha destruída, ninguém foi preso no local e as investigações sobre a propriedade continuam.

Mais notícias