Tenente que matou professora em acidente causou morte de jovem em 2012 ao manusear arma

O tenente da Polícia Militar Alexander Nantes Stein, 32, que provocou acidente que matou a professora Suellen Vilela Brasil, 32, na noite deste sábado (30), efetuou um tiro acidental que resultou na morte do estudante de direito e comerciante Juan Barros Barbosa de 24 anos, em maio de 2012.

A respeito do acidente que vitimou a professora, Stein foi preso preventivamente. O policial estava com sinais de embriaguez, admitiu ter ingerido bebidas alcoólicas, mas se recusou a fazer o teste do bafômetro. Já em relação a Juan, o então soldado de 24 anos, foi liberado após depoimento, respondeu por homicídio culposo e não foi expulso da corporação.

Juan foi atingido por um tiro na barriga durante uma festa que acontecia em uma casa na Rua Bom Sucesso, no bairro Marcos Roberto por volta das 00h45 do dia 24 de maio de 2012. Ele morreu às 15h45 do mesmo dia na Santa Casa de Campo Grande.

Segundo testemunhas que estavam na confraternização, Stein manuseava a arma na frente dos colegas, quando acidentalmente disparou contra Juan que entrava na casa.

“Foi um acidente horrível, eles eram amigos de infância, cresceram juntos em Corguinho”, disse na época, o vigia Aguimar do Carmo, 42, amigo de ambos. Juan foi sepultado em sua cidade natal, Corguinho.

Acidente que matou professora

O acidente aconteceu na Avenida Gury Marques, região do bairro Cidade Morena. O policial estava embriagado e foi autuado em flagrante por homicídio culposo.

A professora Suellen seguia em um veículo Renault Clio, sentido Avenida Guaicurus, quando em frente a uma empresa de transportes, reduziu a velocidade, momento em que o veículo que dirigia, foi atingido na traseira pelo Gol dirigido pelo policial. Com o impacto, o automóvel de Suellen foi lançado à direita e atingiu uma árvore.

Ela não resistiu e morreu no local. O Gol, por sua vez, saiu pela esquerda, atravessou o canteiro central e parou na outra faixa de rolamento. Alexander estava com sinais de embriaguez, admitiu ter ingerido bebidas alcoólicas, mas se recusou a fazer o teste do bafômetro.

Ele afirmou que estava saindo do Bairro Moreninhas e, logo adiante, se deparou com a vítima reduzindo a velocidade. Ele não conseguiu frear a tempo e bateu no Clio de Suellen. Diante dos fatos, foi preso e encaminhado à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) das Moreninhas, pois reclamava de dores pelo corpo.

Tenente que matou professora em acidente causou morte de jovem em 2012 ao manusear arma
Mais notícias