Servidores que teriam desviado milhões de Câmara Municipal são indiciados

Eles respondem por lavagem de dinheiro, peculato e falsificação de documentos

A indiciou nesta quarta-feira (05) os dois servidores suspeitos do desvio de quase R$ 2 milhões da Câmara Municipal de Aquidauana, a 139 quilômetros de Campo Grande. Eles respondem por peculato, lavagem de dinheiro e falsificação de documentos. O procedimento foi relatado ao Ministério Público Estadual para análise e encaminhamento da denúncia.

Ambos os servidores foram presos no dia 27 de julho, mesma data em que houve o bloqueio de suas contas bancárias e o sequestro de bens móveis e imóveis. Houve também buscas em residências, onde foram apreendidos documentos, veículos, computadores e aparelhos celulares.

A prisão de um dos indiciados é preventiva, ou seja, sem prazo definido para cessar. Já a do outro indiciado é temporária e termina nesta quarta-feira. Somente no primeiro semestre deste ano, a dupla teria desviado cerca de R$ 500 mil. Entre os anos de 2017 e 2020, estima-se que o valor total desviado chegue a R$ 2 milhões.

Os indiciados teriam enviado para a prefeitura, através de e-mail, comprovantes de depósitos de valores acima de R$ 120 mil reais, o que foi comprovado que eram parcialmente inexistentes. Os servidores teriam alterado os valores constantes dos seus pagamentos e desviado recursos da conta da Câmara Municipal para contas pessoais simulando pagamento de salário, o que ficou comprovado por extrato recebido através da agência bancária onde a casa de leis movimenta sua conta corrente.

Servidores que teriam desviado milhões de Câmara Municipal são indiciados
Mais notícias