Servente que se esfregou em passageiras de ônibus ficará preso, decide Justiça

Esfregou órgão genital em mulheres e acabou preso

O servente de pedreiro de 37 anos, que passou a mão e se esfregou em passageiras de um ônibus em Campo Grande, continuará preso, conforme decisão judicial. A juíza Cíntia Xavier determinou a prisão já que ele responde a outro processo e cumpria uma liberdade provisória, quando cometeu o crime de importunação sexual nesta terça-feira (7).

Em seu depoimento na delegacia de Polícia Civil, o servente contou que pegou o transporte coletivo na tarde desta terça e se sentou em um banco, sendo que logo depois entrou uma mulher no ônibus e sentou ao seu lado. O suspeito ainda falou que dormiu durante o trajeto e que se levantou para pegar a carteira, que estava em sua cintura momento em que esbarrou o pé no da mulher. Ele ainda disse que pediu desculpas e negou que tenha esfregado o órgão genital e se esfregado em mulheres dentro do ônibus.

De acordo com a denúncia das vítimas, o servente teria embarcado no ônibus da linha 081, em um ponto da região central da cidade, quando então passou a importunar as passageiras. Ele teria passado a mão e também esfregado o órgão genital, durante o trajeto. As vítimas passaram a protestar e então o motorista fechou as portas, para impedir que ele descesse.

Passageiros que presenciaram o assédio tentaram linchar o suspeito, mas foram impedidos por seguranças do terminal General Osório, no bairro Coronel Antonino, local onde ele foi preso pela Polícia Militar.

Servente que se esfregou em passageiras de ônibus ficará preso, decide Justiça
Mais notícias