Polícia

Servente preso em operação contra o PCC disse que droga encontrada era para ‘compartilhar entre amigos’

O servente de 30 anos preso durante a operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) contra o PCC (Primeiro Comando da Capital), nesta terça-feira (5), no bairro Vivendas do Parque disse quando da sua prisão que a droga encontrada com ele era para compartilhar com os amigos. A operação Piromania foi […]

Thatiana Melo Publicado em 06/05/2020, às 10h12 - Atualizado às 18h00

(Foto: Ranziel Oliveira, Midiamax)
(Foto: Ranziel Oliveira, Midiamax) - (Foto: Ranziel Oliveira, Midiamax)

O servente de 30 anos preso durante a operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) contra o PCC (Primeiro Comando da Capital), nesta terça-feira (5), no bairro Vivendas do Parque disse quando da sua prisão que a droga encontrada com ele era para compartilhar com os amigos.

A operação Piromania foi deflagrada na manhã de terça (5), e o servente foi encontrado na casa de uma mulher sendo que em uma mochila encontrada em um dos quartos estava escondida maconha, um total de 470 gramas que segundo ele seria para compartilhar com seus amigos de forma gratuita.

Ele ainda falou que já havia sido preso anteriormente por tráfico de drogas.  Ao todo foram cumpridos 20 mandados sendo 13 mandados de prisão temporária e 22 mandados de busca e apreensão em Campo Grande, Coxim, Bela Vista e Sidrolândia. A operação era contra membros do PCC que são atuantes no Estado, que faziam o tráfico de drogas, armas e lavagem de dinheiro.

Na Capital, ao todo foram presas oito pessoas envolvidas com a facção criminosa, sendo duas levadas para a Depac Centro, outras cinco para a Cepol e mais um preso para a 6º Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande. Durante a operação foram apreendidos R$ 100 mil em espécie e apreendidas mais de meia tonelada de maconha, além de cinco quilos de cocaína e cinco quilos de pasta base de cocaína.

Durante as investigações se descobriu que os alvos se fotografavam queimando dinheiro que vinha do tráfico de drogas. O total de presos durante a deflagração da operação ainda não foi revelado.

Jornal Midiamax