Sem solução: 5 anos depois, denunciado por homicídio em Campo Grande é absolvido

Vítima tinha 21 anos na época

Alberto Souza dos Santos, de 36 anos, foi condenado no processo pelo homicídio de Lyniker de Castro Figueiredo, 21 anos, enquanto o suposto comparsa Kauê Santos foi absolvido. O crime aconteceu em 13 de abril de 2015, em uma residência no Guanandi e o réu responderá apenas pelo porte ilegal de arma de fogo.

A denúncia aponta que Lyniker estava morando temporariamente na casa de um amigo, onde ocorreu o crime. Naquele dia, tal amigo estava sentado na frente da residência, quando percebeu os suspeitos se aproximando, com armas de fogo em mãos. Ele se escondeu e a dupla invadiu o local.

Em seguida, Alberto deu uma ‘gravata’ em Lyniker, além de coronhadas com a arma de fogo. Após imobilizarem a vítima, Kauê teria feito o disparo que atingiu a cabeça do rapaz, que morreu no local. Na época foi apurado que Alberto portava um revólver e Kauê tinha uma pistola.

Autoria do crime

Conforme a sentença, não foi possível identificar elementos suficientes que demonstrassem que Kauê era o autor do homicídio. No decorrer do processo, a acusação chegou a pugnar pela impronúncia do réu, inicialmente apontado como o autor do disparo. Com isso, ele acabou absolvido.

Já sobre Alberto, restou o porte ilegal de arma de fogo, que ele mesmo confessou ter levado até a casa onde ocorreu o homicídio. Com isso, o magistrado Carlos Alberto Garcete de Almeida, da 1ª Vara do Tribunal do , entendeu que por este crime ele deve ser condenado.

Por fim, Kauê foi absolvido pelo porte de arma, enquanto Alberto foi condenado por tal crime, a 2 anos de reclusão e pagamento de 10 dias-multa. Por não haver necessidade de que fique preso preventivamente, ele responderá em liberdade.

Sem solução: 5 anos depois, denunciado por homicídio em Campo Grande é absolvido
Mais notícias