Segurança Máxima? Preso abre tela de novo presídio para fugir, mas é flagrado

Interno responde procedimento e foi indiciado por dano ao patrimônio

é investigado após danificar a estrutura do Presídio de Segurança Máxima da Gameleira, em Campo Grande, para tentar fugir. Ele cortou a tela de proteção e pretendia escapar à noite, coberto com a capa do colchão, para dificultar a visibilidade. No entanto, a ação foi flagrada por policiais penais. De acordo com a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), foi instaurado procedimento administrativo disciplinar para investigar o caso e o preso responde por dano ao patrimônio.

Conforme apurado, no dia 20 de abril, o preso teria arrancado lâminas de concertina e cortado a capa do colchão após ter aberto o buraco na tela. No entanto, ele saiu apenas com metade do corpo para fora do alambrado, mas foi flagrado por um policial penal que estava em uma das torres. Denúncia encaminhada ao Midiamax aponta que, apesar do caráter de “Segurança Máxima”, a estrutura do presídio tem falhas que comprometem a segurança. 

Questionado, o Sinsap (Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária), informou que está prestes a concluir relatório que será encaminhado à Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública), informando os problemas da unidade e possíveis soluções. Na data da inauguração, o Midiamax já havia informado que apesar de uma estrutura de 101 celas construídas com material resistente a escavações dificultando fugas de detentos, o novo presídio, que fica a 100 metros do presídio semiaberto, na zona rural da cidade, não teria condição de abrigar líderes de facções criminosas.

Por meio da assessoria de imprensa, a Agepen apresentou sua versão dos fatos do dia 20 informando que o preso foi pego tentando descosturar a tela que cobre o pavilhão. “Não foi registrado nem como tentativa de fuga e sim dano ao patrimônio. A unidade penal foi totalmente edificada com concreto usinado, material resistente que dificulta escavação de buracos ou quebra das paredes”, afirmou a Agepen

No que diz respeito à estrutura de segurança, alegou que as portas das celas são abertas pelo piso superior, sem contato direto de agentes e presos. Todas as tomadas de energia são instaladas no lado de fora das celas e os solários são telados em sua parte superior, impedindo o arremesso de materiais ilícitos. O presídio possui videomonitoramento por câmeras instaladas em locais estratégicos e todos os presos usam uniformes.”Para aprimorar o trabalho de vistoria de pessoas possui bodyscan instalado na portaria.Desde a inauguração, nunca foi localizado droga ou celular no local, segundo a direção  da unidade”.

Segurança Máxima? Preso abre tela de novo presídio para fugir, mas é flagrado
Mais notícias