Sargento da PM é indiciado por tortura após tentar estuprar jovem na saída de festa

Sargento teria colocado revólver na boca da vítima e feito ameaças

O sargento da Polícia Militar que foi preso depois de tentar estuprar uma jovem, na saída de uma festa em Campo Grande foi indiciado por tortura e lesão corporal. O crime aconteceu no dia 13 deste mês, no bairro Monte Castelo.

Diante do depoimento da vítima, que disse ter um revólver colocado na boca e ameaçada pelo sargento ao se recusar a manter relações sexuais com ele, o sargento acabou sendo indiciado por tortura e lesão corporal. Ele está preso no presídio militar. Quando o sargento foi preso, na casa dele foram encontradas 174 munições e um revólver, que não estava cadastrado.

O crime

A jovem contou na delegacia que conheceu o sargento em uma festa, no dia 13 deste mês, e quando ia embora, ele teria dito ser motorista de aplicativo oferecendo uma carona para ela. Ela teria entrado em um carro de cor preta, que foi conduzido por outro homem. Durante o trajeto, a vítima percebeu que não estava sendo levada para sua residência, sendo deixada na companhia do militar na casa dele pelo outro homem.

Depois que desceram do carro e entraram na residência, o militar havia perguntado se ela ficaria com ele, manteria relações sexuais, sendo que a jovem disse que não, e neste momento o sargento teria dito a ela, “comigo você não pode’ dando socos na cabeça da vítima, e colocando uma arma na sua boca.

Ela conseguiu fugir pedindo ajuda a um casal que passava. Ele negou que tentou estuprar a jovem. Uma testemunha, que seria amiga do sargento, contou na delegacia que havia visto o militar e a jovem aos beijos na festa, e que achava que estava tudo bem entre os dois já que a após a saída do local foram fazer um lanche e depois nele deixou o casal na residência do sargento.

Sargento da PM é indiciado por tortura após tentar estuprar jovem na saída de festa
Mais notícias