‘Quero Justiça’, diz professora após morte de filhos atropelados por traficante em fuga

'Ainda não me caiu a ficha, parece que eles estão em viajem e vão voltar', disse a mãe

Vinte e três dias após o acidente que matou dois irmãos, de 11 e 20 anos de idade, a mãe deles, que também foi atropelada, a professora Simone Silva, 44 anos, falou pela primeira vez e pediu Justiça. “Se eu o encontrasse hoje [o traficante que motivou o acidente enquanto fugia da polícia] não sei qual seria minha reação, quero apenas Justiça”, disse em entrevista ao Jornal da Nova.

Simone perdeu os dois filhos Higor Silva Barbosa, 11 anos, e Heloá Glésia Gonçalves Nascimento, 20 anos, no dia 28 de dezembro de 2019, em Nova Casa Verde, distrito de Nova Andradina, a 297 quilômetros de Campo Grande. Ela também teve ferimentos no acidente, passou por cirurgia e deixou o hospital recentemente.

Em relação ao dia do atropelamento, Simone afirmou que lembra de pouca coisa. “Lembro que estávamos indo de Nova Casa Verde para o Restaurante Gabrielli, não tinha muito trânsito, estava tranquila a pista. Só lembro da luz, muito rápido, pelas costas”, relembrou.

‘Quero Justiça’, diz professora após morte de filhos atropelados por traficante em fuga
Professora quer Justiça após perder os dois filhos de 11 e 20 anos. Imagem: Jornal da Nova

No momento da colisão, a professora conta que desmaiou. “Depois acordei com barulho de sirene e pessoas conversando. Havia muito sangue, perguntei das crianças, mas desmaiei novamente, sentia muita dor”.

Simone está há 12 anos trabalhando em uma escola de Nova Casa Verde. Muito querida no distrito, ela enfatizou a solidariedade e as orações como meio de superar o episódio. “É o que tem me fortalecido”, disse.

“Os dois estavam no auge da vida deles, minha filha estava bem resolvida, fazendo a faculdade de medicina no Paraguai, que era o sonho dela. Meu filho também estava contente, jogando no time de futebol mirim de Casa Verde, foi um ano muito bom para eles, estavam realizados, lembrou a mãe. “Agora estou projetando minha vida sem eles, ainda não me caiu a ficha, parece que eles estão em viajem e vão voltar a qualquer momento”, acrescentou.

Conforme o Jornal da Nova o inquérito policial já foi relatado e encaminhado ao Poder Judiciário. O MPE (Ministério Público Estadual) deve se pronunciar sobre o caso e ouvir a professora Simone nos próximos dias.

‘Quero Justiça’, diz professora após morte de filhos atropelados por traficante em fuga
Mais notícias