Querido por vizinhos, seu Leonel alugaria a casa onde foi friamente assassinado e enterrado por pedreiro

O homem teria sido contratado por ele para fazer serviços na casa

Na manhã desta sexta-feira (8), após a polícia descobrir a morte de José Leonel Ferreira dos Santos, de 61 anos, um vizinho da vítima contou ao Midiamax que o homem apontado como autor do crime teria sido contratado pelo idoso para fazer serviços na casa. Desde a última quarta-feira, 29 de abril, seu Leonel não era mais visto pelos moradores na região.

O homem de 70 anos, que preferiu não se identificar, contou que Leonel contratou um pedreiro para fazer a reforma nos fundos da casa, porque ele pretendia alugar o local. Na terça-feira, 28 de abril, o pedreiro e um ajudante foram até a residência e na quarta-feira o ajudante esteve lá novamente, para deixar cascalhos na frente do imóvel.

Querido por vizinhos, seu Leonel alugaria a casa onde foi friamente assassinado e enterrado por pedreiro
Polícia esteve no local nesta sexta-feira (Foto: Ranziel Oliveira, Midiamax)

Foi na quarta-feira que o vizinho viu seu Leonel pela última vez. Na frente da residência, funcionava um mercadinho do idoso e depois que ele fechou o estabelecimento naquela noite, não foi mais visto. O vizinho conta que estranhou o fato de ele ter sumido e que no domingo, o pedreiro e a família se mudaram para lá. Amigo da vítima há 10 anos, ele conta que ficou até a madrugada desta sexta-feira acompanhando o trabalho das equipes iais na casa da vítima.

Dona Ana Martins, de 65 anos, era uma amiga próxima de seu Leonel e também o conhecia desde que ele mudou para lá, aproximadamente em 2010. “Ele não fazia mal a ninguém, trabalhava honestamente, é muito triste perder alguém que você gosta. Ele não tinha maldade nenhuma”, contou a amiga da vítima.

Ela ainda disse ao Midiamax que eles eram amigos tão próximos que, quando seu Leonel viajava, era o filho dela com os netos que dormiam na casa dele para cuidar. E também que ele sempre ia até a casa dela para levar comida ou para brincar com os netos da vizinha. “Vó, não fala isso não”, foi a fala dos netos da amiga da vítima, ao saberem o que tinha acontecido.

Muito emocionada, dona Ana lamentou a morte de seu Leonel e contou que mal está conseguindo ficar em pé, muito abalada com o ocorrido. “Meu coração está doendo demais”, disse. Para a amiga, vai ficar a saudade das horas de conversa na varanda com seu Leonel.

Desaparecimento e homicídio

Querido por vizinhos, seu Leonel alugaria a casa onde foi friamente assassinado e enterrado por pedreiro
Vítima foi enterrada nos fundos da casa (Foto: Ranziel Oliveira, Midiamax)

O crime foi descoberto após a irmã de Leonel procurar a DEH (Delegacia Especializada de s) para relatar o desaparecimento dele e também que pessoas estranhas estariam vivendo na casa onde ele morava. Com as investigações, que perduraram durante toda a quinta-feira, os iais acabaram descobrindo o homicídio.

O autor do crime teria sido o pedreiro e a esposa dele, Roselaine Tavares Gonçalves, de 40 anos, teria dito que ele matou a vítima e a enterrou no quintal da casa. Ela ainda chegou a dizer que o marido fez isso depois que ela pediu para eles morarem em uma casa maior. A filha do casal, Yasmin Natasha Gonçalves Carvalho, de 19 anos, também foi presa por participação no crime.

O marido de Roselaine teria sido quem matou o idoso com golpe de barra de ferro na cabeça, na cozinha da casa e arrastou o corpo até perto de uma mesa nos fundos. Ele cavou a vala no fundo da casa e com a ajuda da filha enterrou o corpo, jogando cal por cima. A família passou a morar no local no domingo (3), como se nada tivesse acontecido e ignorando o fato de a vítima estar enterrada no quintal.

Querido por vizinhos, seu Leonel alugaria a casa onde foi friamente assassinado e enterrado por pedreiro
Cozinha da casa, onde o crime foi cometido (Foto: Ranziel Oliveira, Midiamax)

Mãe e filha foram presas pela e o marido, que fugiu em um Chevette, placas HQU-1195 é procurado pela polícia. A DEH pede que, quem tiver informações sobre o carro denuncie pelos telefones 3318-9026 ou 99987-9496.

Querido por vizinhos, seu Leonel alugaria a casa onde foi friamente assassinado e enterrado por pedreiro
Mais notícias