Professor acusado de estuprar menino de 12 anos tenta coagir família a tirar queixa

Ele chegou a procurar pessoas próximas da família

Nesta quarta-feira (16), família de Campo Grande denunciou tentativas de coação por parte de um professor, acusado de estuprar um menino de 12 anos em 2018. Com o início das audiências para apuração do caso, o suspeito teria procurado pessoas próximas à família, na tentativa de que a queixa fosse retirada.

Segundo a mãe do menino, em fevereiro de 2018 foi feita a denúncia de estupro de vulnerável contra o professor. Assim, aproximadamente um ano e meio depois, tiveram início as audiências no Fórum, para que os depoimentos fossem colhidos. Então, há aproximadamente quatro meses o suspeito teria começado a procurar a família.

Isso, conforme relato da mulher, foi feito inicialmente com o pastor da igreja que a família frequenta. Assim, o acusado teria entrado em contato com ele pelo , dizendo que a situação gerada estava causando gastos e transtornos. Além disso, pediu ao pastor que conversasse com a família para retirar a queixa.

Também segundo a mãe da vítima, um familiar do professor já teria ido até a casa deles, insinuando que a família queria dinheiro por conta da denúncia. Já na segunda-feira (14), os pais do menino foram chamados pela psicóloga que deu o primeiro atendimento ao menino. Assim, ela relatou que também foi procurada pelo autor, dizendo que a situação teria sido um equívoco.

Por conta dos fatos, agora será investigado crime de coação no curso do processo.

Professor acusado de estuprar menino de 12 anos tenta coagir família a tirar queixa
Mais notícias