Preso que participou de fuga em massa disse que foi ‘coagido’ a entrar em túnel

Oito fugitivos já foram recapturados

Depois da fuga de 75 presos no dia 19 deste mês da penitenciária de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã a 346 quilômetros de Campo Grande, oito já foram recapturados e a informação é de que os chefões do PCC (Primeiro Comando da Capital) saíram pela porta de frente do presídio. Um dos recapturados disse que teria sido ‘coagido’ a entrar no túnel.

Depois de se entregar a polícia, Cristian Javier Vera Benítez, 26 anos, contou as autoridades que os ‘peixes grandes’ do PCC que estavam com ele ‘fugiram’ pela entrada principal da prisão. Informações são de que os agentes teriam recebido propina para que a fuga em massa acontecesse. Tanto os agentes como o diretor do presídio foram detidos e tiveram a sua prisão preventiva decretada na noite desta terça-feira (21).

Cristian ainda disse que estava na cela quando os brasileiros gritaram “Vai embora”, e ele aproveitou para sair pelo túnel depois de ser ‘coagido’ para fugir. Ele disse que se entregou após pedido dos pais. “Me apresentei às autoridades porque não dá gosto estar escondido clandestinamente”.

No pavilhão onde os membros do PCC estavam pelo menos seis portas teriam de ser abertas até a entrada principal por onde escaparam. Segundo o site ABC Color, as câmeras de segurança não registraram nenhuma ação suspeita no portão principal da prisão no domingo (19) de acordo com os dados obtidos.

Câmeras de segurança

A empresa SIT contratada para a instalação das câmeras de segurança, no presídio de Pedro Juan Caballero, de onde fugiram os 75 membros do PCC (Primeiro Comando da Capital) disse que todas as 16 câmeras estavam funcionando no momento da fuga.

Segundo a empresa, logo após a fuga por volta das 10 horas da manhã de domingo (19), um agente foi até a penitenciária e retirou todas as imagens captadas nos últimos seis meses. De acordo com o advogado da empresa, ela não seria responsável por monitorar e alertar sobre movimentos suspeitos. A função da empresa seria meramente técnica, disse o advogado.

Segundo informações passadas, na sala do diretor do presídio havia a transmissão das imagens das câmeras de segurança podendo acompanhar tudo que acontecia dentro do estabelecimento penal. Também havia monitoramento das câmeras pelo Ministério da Justiça.

Laboratório de drogas

A polícia paraguaia encontrou a 150 metros da penitenciária de onde fugiram os 75 presos membros do PCC (Primeiro Comando da Capital), nesta terça-feira (21) em Pedro Juan Caballero, um laboratório de drogas que fornecia crack e cocaína aos detentos.

O laboratório foi encontrado em um assentamento a 150 metros da penitenciária. No local foram apreendidos 27 quilos de crack e cocaína que era fornecida a detentos idosos e a reclusos do Centro de Educação Infantil, que fica a 40 metros do local.

Fuga

Por volta das 5 horas da madrugada de domingo (19), detentos membros do PCC teriam fugido através de um túnel escavado de dentro da unidade até o lado de fora. Mais de 70 metros escavados, mais de 200 sacos de areia deixados em uma das celas da penitenciária e o fator mais questionado foi se nenhum agente penitenciário viu a fuga ou mesmo a escavação ou sequer suspeitou. Até o momento, seis deles foram recapturados no Paraguai e Mato Grosso do Sul.

Mais notícias