Polícia

Preso por assassinar o irmão com espeto é encontrado morto no presídio

Na manhã deste sábado (25), Alberto Almeida Farias, de 41 anos, foi encontrado morto no Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande, o EPJC (Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho). Ele sofria de esquizofrenia e estava detido na ala psiquiátrica, preso pelo homicídio do irmão, Gilberto Almeida Farias, em 2016. Conforme o registro policial, Alberto […]

Renata Portela Publicado em 25/04/2020, às 14h35 - Atualizado às 15h30

Imagem ilustrativa (Arquivo, Midiamax)
Imagem ilustrativa (Arquivo, Midiamax) - Imagem ilustrativa (Arquivo, Midiamax)

Na manhã deste sábado (25), Alberto Almeida Farias, de 41 anos, foi encontrado morto no Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande, o EPJC (Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho). Ele sofria de esquizofrenia e estava detido na ala psiquiátrica, preso pelo homicídio do irmão, Gilberto Almeida Farias, em 2016.

Conforme o registro policial, Alberto estava na Máxima desde setembro de 2019, na ala psiquiátrica do presídio. Nesta manhã ele foi encontrado deitado no colchão, irresponsivo, sem os sinais vitais e sem sinais de violência. Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado para ir até o presídio e constatou o óbito.

Segundo o registro, Alberto sofria de esquizofrenia refratária e diabetes mellitus, fazendo uso de medicamentos controlados. A mãe não soube dizer se ele tomava os medicamentos corretamente e o caso é tratado como morte natural.

Homicídio do irmão

Gilberto o ‘Gil Estrela do Sul’, foi morto aos 35 anos, na noite de 13 de março de 2016. Alberto sofreu um surto e enfiou um espeto no pescoço do irmão, que morreu antes de chegar ao hospital.

Na época, a família contou que Alberto agredia a irmã com chutes, quando Gil tentou defender a irmã e foi atingido pelo golpe com um espeto no pescoço.

Jornal Midiamax