Preso em operação do Gaeco contra PCC disse que usava munição para caçar javalis

Na casa do técnico de refrigeração foram encontradas munições de vários calibres

O auxiliar técnico de refrigeração de 31 anos, que foi preso nesta terça-feira (5) na Operação Piromania deflagrada pelo (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao ) contra o (Primeiro Comando da Capital) disse que as munições encontradas em sua casa, no Jardim Los Angeles seria para caçar javalis.

Na casa do investigado pelo , que estava com mandado de prisão sendo cumprido durante a operação, os policiais encontraram cinco munições intactas de calibre .22 e outras quatro de calibre .38. Em depoimento, o auxiliar contou que havia comprado as munições há quatro meses pagando o valor de R$ 1 para cada e que ele costumava caçar javalis, na região da Gameleira, mas não soube precisar o local exato.

Ele ainda disse que já havia sido preso por tentativa de homicídio, mas que não sabia que havia um mandado contra ele. O homem foi levado para a Cepol, para onde mais quatro presos foram encaminhados.

Ao todo foram cumpridos 20 mandados sendo 13 mandados de prisão temporária e 22 mandados de busca e apreensão em Campo Grande, Coxim, Bela Vista e Sidrolândia. A operação era contra membros do que são atuantes no Estado, que faziam o tráfico de drogas, armas e lavagem de dinheiro. Ao todo foram presos oito pessoas envolvidas com a facção criminosa, sendo duas levadas para a Depac Centro, outras cinco para a Cepol e mais um preso para a 6º Delegacia de de Campo Grande. Durante a operação foram apreendidos R$ 100 mil em espécie e apreendidas mais de meia tonelada de maconha, além de cinco quilos de cocaína e cinco quilos de pasta base de cocaína.

Preso em operação do Gaeco contra PCC disse que usava munição para caçar javalis
Mais notícias