Presa por encomendar morte do marido diz que ‘não estava nem em casa’

Mulher afirma que no momento do crime saiu com um desconhecido

A mulher de 41 anos presa no domingo, em Aquidauana, a 143 quilômetros de Campo Grande, por suspeita de encomendar a morte do marido, nega o crime e alega que não estava em casa no momento dos fatos. A vítima foi espancada com pauladas, socorrida em estado gravíssimo e encaminhada para a Santa Casa da Capital, onde foi aberto protocolo para avaliar morte cerebral.

De acordo com o delegado Roberto Guimarães, ao ser ouvida nesta terça-feira (11), a mulher alegou que estava bebendo com o marido em casa, no bairro Santa Terezinha, quando duas pessoas chegaram ao local. Uma destas pessoas, teria a convidado para ir até uma conveniência buscar mais cerveja e, quando voltaram, se depararam com Edemilson Irineu de Almeida Mais, de 39 anos, ferido.

“Ela nega envolvimento, mas não apresentou nenhum fato que a exima. Ela alega que não estava em casa porque havia saído com uma pessoa que não conhece”, afirmou o delegado, Tanto ela, quanto o autor do crime, que foi preso na sexta-feira passada, vão responder por homicídio qualificado por motivo fútil na forma tentada, tendo em vista que a vítima não foi declarada morta.

O suspeito , de 39 anos, confirmou que havia “matado” a vítima a pedido da ex-companheira dele. Por este motivo, atacou Irineu com quatro pauladas na cabeça. Na madrugada quinta-feira passada,  a mulher acionou a Polícia Militar, alegando ter chegado de um bar com um amigo – posteriormente identificado como o autor – e encontrado o marido gravemente ferido.

Mais notícias