Polícia investiga se cafetina encontrada em motel agenciava a filha para programas em Campo Grande

Justiça havia arbitrado fiança de R$ 30 mil para empresário e R$ 2,5 mil para cafetina que já foram pagos pelos autores

A através da Depca (Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente) irá investigar se a cafetina presa em um quarto de junto de um empresário de 37 anos e mais duas adolescentes agenciava a própria filha para programas sexuais.

De acordo com a delegada Franciele Candotti, o empresário teria alegado que não sabia que as meninas eram adolescentes. A delegada ainda disse que vai ser investigado se a mulher faria parte de uma rede de exploração sexual e se existem mais meninas agenciadas por ela.

As meninas teriam dito a delegada que não sabiam que estavam sendo levadas para um e que foram convidadas para tomar banho de piscina e que poderiam ganhar dinheiro com isso. No quarto do foi encontrado dinheiro que seria para pagar os programas, mas o empresário teria dito que era para pagar contas.

Ele ainda falou que a cafetina tinha oferecido um ‘pacote’ de três pelo valor de R$ 350. Depois de presos, a Justiça arbitrou fiança de R$ 30 mil para o empresário e de R$ 2,5 mil para a cafetina, que já teriam feito o pagamento.

A denúncia chegou até a Polícia Militar depois do meio-dia desta quarta (25), pelo motorista de aplicativo que deixou a cafetina e as duas adolescentes dentro do motel. Quando os militares chegaram ao motel encontram os quatro quarto e uma caixa térmica com cervejas.

O homem contou que conhece a cafetina desde há 10 anos, já que ela trabalhava em uma casa noturna fazendo programas. E que nesta quarta (25) teria entrado e contato com ele para fazer um encontro no motel e fechar um pacote de três pelo valor de R$ 350.

Ele ainda contou que a mulher disse ter amigas para apresentar, mas ele falou desconhecer que eram adolescentes. Uma das meninas seria namorada do filho da cafetina. Já a cafetina contou que se relacionava esporadicamente com o homem e que tinham o costume de ir a vários motéis.

Sendo que na quarta (25) teria marcado um encontro com ele, e a nora e uma amiga da menina que estavam na casa dela pediram para ir juntos, mas que era apenas para tomar bando de piscina e que não haviam mantido relações sexuais com o motorista de ônibus. A cafetina e o homem passam por audiência de custódia nesta quinta (26). O caso é investigado ela Depca (Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente).

Polícia investiga se cafetina encontrada em motel agenciava a filha para programas em Campo Grande
Mais notícias