Polícia faz simulação do assassinato de ex-prefeito e encerra inquérito

Autor responde por homicídio, tentativa de homicídio e porte de arma

Luiz Fernandes, de 54 anos, mais conhecido como Paraguaio, foi indiciado pelo assassinato de Dirceu Lanzarini, ex-prefeito do município de Amambai, a 325 quilômetros de Campo Grande, cometido no dia 24 de fevereiro, na fazenda da vítima. O inquérito foi concluído e o autor responde por homicídio qualificado pelo recurso que dificultou a defesa da vítima, pela tentativa de homicídio qualificado pelo mesmo motivo e por porte de arma de uso restrito.

Na quarta-feira, de acordo com o delegado Marcos Werneck, responsável pelas investigações, na quarta-feira foi realizada a reprodução simulada (reconstituição do crime), mas Luís, que está preso, não participou. O objetivo foi o de esclarecer todas as dúvidas a respeito da dinâmica do assassinato. O resultado será anexado aos autos e encaminhado ao Poder Judiciário.

Conforme noticiado, Luís ficou foragido por 17 dias e até ajuda das policiais paraguaias foi pedida na tentativa de encontrá-lo. Dois dias depois do crime foi representada pela prisão preventiva dele que estaria escondido em uma região de mata. O autor trabalha na fazenda da vítima e teria premeditado o assassinato como forma de vingança.

As investigações apontaram que a arma usada no crime já estava em posse de Paraguaio há 10 anos. Os dois primeiros disparos foram à queima-roupa, segundo a polícia. Os tiros atingiram o ex-prefeito e o outro disparo o genro de Lanzarini. Equipes seguem em buscas por Luiz Fernandes, que está foragido desde o crime.

Motivação do crime

Luiz teria revelado à esposa a motivação do crime. Ela prestou depoimento e contou para a polícia que o marido confessou o homicídio e disse que fez isso após o genro de Lanzarini ter assumido a administração da fazenda e passado a cobrar os funcionários.

Até então, o ex-prefeito era o único que administrava a propriedade, mas em razão dos compromissos políticos, a administração ocorreu à distância por quase dez anos, até a chegada do genro. Luiz não teria gostado das cobranças, e por isso, teria assassinado Dirceu a tiros.

Em seguida, ele fugiu e abandonou o trator usado na fuga na beira do rio. Dirceu Lanzarini foi assassinado com três tiros, um deles na cabeça. Já o genro de Lanzarini, Kesley Aparecido Vieira Matricardi, foi atingido por dois disparos, um no braço e outro no pescoço, de raspão. Foi ele quem fez o primeiro socorro ao sogro. Os dois foram levados para o Hospital do Coração de Dourados. Dirceu sofreu uma parada cardiorrespiratória ao chegar no hospital. A equipe médica tentou reanimação por uma hora, mas ele não resistiu.

Polícia faz simulação do assassinato de ex-prefeito e encerra inquérito
Mais notícias