Polícia conclui que jovem amarrou mãe, estuprou, esfaqueou e depois ateou fogo

O inquérito sobre crime que aconteceu no dia 23 de dezembro foi enviado ao Ministério Público Estadual

O jovem Paulinho Cabreira, de 19 anos, deve ser acusado formalmente  pelo MPE-MS (Ministério Público Estadual) por estupro, homicídio qualificado e destruição de cadáver da própria mãe Marina Cabreira, no dia 23 de dezembro em Dourados. A conclusão do inquérito foi apresentada nesta segunda-feira (13) pela Polícia Civil.

Segundo o delegado responsável pelo SIG (Setor de Investigações Gerais) que prendeu o acusado e conduziu o inquérito, Rodolfo Daltro, as investigações desde o início já apontavam para essa conclusões. Além disso, o delegado também disse que o acusado também é suspeito de ter tentado violentar sexualmente outra pessoa anos antes, no município de Juti. Entretanto, este caso, segundo ele ainda será apurado.

Em entrevista ao Jornal Midiamax o delegado também revelou, no final do ano passado, que  dois meses o filho já tinha tentado estuprar a mãe, mas que na época foi impedido pelo homem com quem Marina vivia. “Estamos diante de um crime com requintes de crueldade que até então ainda não tinha presenciado em todos esses anos”, disse na ocasião.

O delegado explicou que o jovem amarrou a própria mãe em um sofá enquanto ela dormia após ter consumido bebida alcoólica.Enquanto ela estava desacordada, praticou o estupro.A vítima acordou e tentou reagir, mas foi impedida por pelo menos cinco golpes de faca. Em seguida Paulinho a ateou fogo no corpo de Marina.

Paulinho Cabreira, está recolhido em uma cela  na PED (Penitenciária Estadual de Dourados), desde o dia 02 de janeiro. Agentes do SIG (Serviço de Investigação da Polícia Civil) prenderam o rapaz no dia 28 de dezembro na aldeia Bororó. O crime teria acontecido pelo fato da vítima ter negado R$ 10 para o filho comprar cachaça.

Polícia conclui que jovem amarrou mãe, estuprou,  esfaqueou e depois ateou fogo
Mais notícias