Polícia bloqueia conta de mãe de santo e recupera 20% dos R$ 50 milhões desviados por funcionária

Funcionária disse que tinha medo de maldição e por isso desviou os valores

A de Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande, já pediu o bloqueio das contas da mãe de santo que teria recebido boa parte do dinheiro desviado por uma funcionária do setor financeiro de uma empresa do ramo do agronegócio. O montante chega ao valor de R$ 50 milhões.

Segundo o delegado Rodolfo Daltro, a mãe de santo foi localizada em Diadema, interior de São Paulo. Foi feito o pedido de bloqueio das contas da mulher e cerca de 20% do que foi desviado já teria sido recuperado. A perícia ainda faz as análises das conversas entre a mãe de santo e a funcionária para saber se houve ou não furto do dinheiro da empresa pela funcionária, ou se ela realmente foi vítima de extorsão. A funcionária foi ouvida e liberada.

Ainda de acordo com Daltro, a mulher relatou que estaria sendo vítima de extorsão por parte de uma mãe de santo e que isso estaria ocorrendo há aproximadamente 30 dias. A denunciante relatou que recebia atendimento espiritual dessa religiosa desde 2018, e que a mesma “passou a exigir as transferências de valores da empresa sob pena de ser lançada uma maldição que ao final culminaria com a prática de suicídio”.

A funcionária disse que a mãe de santo afirmou que outra guru espiritual entraria em contato, devendo ser obedecido tudo o que ela ordenava, o que acabou acontecendo. “Assim, a funcionária da empresa disse que com medo de sofrer sanções de cunho espiritual passou a realizar transferências para contas bancárias apontadas pelas duas mulheres que, ao final de 30 dias, que seria um período de penitência, somaram mais de 50 milhões de reais”.

Segundo o delegado, ao ser relatado o caso, foi apresentada uma planilha, em que foram identificadas 11 contas bancárias que receberam transferências que somaram R$ 50,8 milhões. “Imediatamente foram colhidos depoimentos da funcionária que supostamente seria vítima de extorsão, de funcionários da empresa lesada e de outras testemunhas”, explicou Daltro.

Foi realizada a apreensão do aparelho celular utilizado pela funcionária da empresa para se comunicar com as mulheres que seriam mães de santo, com o objetivo de ser analisado o teor das conversas, o que poderia confirmar a extorsão.

Polícia bloqueia conta de mãe de santo e recupera 20% dos R$ 50 milhões desviados por funcionária
Mais notícias