PM vai a julgamento por desviar ao menos 143 litros de combustível da corporação

Ele teria abastecido sua moto mesmo quando estava afastado dos trabalhos

No dia 3 de março, às 14 horas, será julgado na Auditoria Militar de Campo Grande um policial militar acusado de desviar combustível da corporação. Ele teria feito abastecimentos até mesmo no período em que esteve afastado do trabalho. O julgamento será presidido pelo juiz Alexandre Antunes da Silva. 

Segundo denúncia do Ministério Público Estadual, os desvios foram constatados entre 3 de fevereiro e 18 de agosto de 2017. Durante averiguação do sistema de desempenho, um policial responsável pela gestão das viaturas encontrou irregularidades no abastecimento do veículo Yamaha Lander utilizado pelo réu.

Foi constatado que, apesar de a capacidade do tanque da moto ser de 11 litros, o policial fez 13 abastecimentos acima do máximo permitido, totalizando ao menos 143 litros desviados. O total de combustível consumido se mostrou incompatível com o percurso percorrido pelo militar. Ele usava a moto para distribuição de documentos e não estava sujeito ao mesmo tipo de trabalho ostensivo dos demais colegas.

“Ademais, o denunciado permaneceu de licença para tratamento de saúde em 12 de Julho a 17 de Agosto de 2017, não tendo devolvido a motocicleta na época de seu afastamento e continuou realizando abastecimentos nesse período, em contradição à determinação da P-4 do 7º BPTRAN. Por derradeiro, o denunciado estava escalado no BPTRAN nos dias 18 a 21 de Agosto de 2017, todavia, constatou-se que o seu veículo percorreu apenas um quilômetro, sendo também totalmente incompatível para a sua função”, consta na denúncia.

Mais notícias