VÍDEO: Pelo WhatsApp, jovens organizam rave clandestina e lotam casa em Campo Grande

De acordo com denúncia, evento também teve venda de drogas e bebidas e cobrava R$ 20 por pessoa. Orientação era postar registros somente após a festa

Uma festa clandestina no Conjunto José Abrão, saída para Rochedo, reuniu cerca de 150 pessoas, pelo menos, na noite do sábado (13) até a manhã deste domingo (14). A denúncia foi enviada anonimamente ao Jornal Midiamax, que encaminhou o caso às autoridades.

A (Guarda Civil Metropolitana) de Campo Grande confirmou que flagrou a festa ilegal após denúncia recebida na manhã deste domingo. Porém, ao chegar no local os participantes já se dispersavam e não fez notificação. Após isso, a reportagem esteve nas imediações do imóvel onde o evento foi realizado e constatou que ainda havia movimentação de pessoas e . Com isso, a retornou ao local, onde ainda havia cerca de 20 pessoas, mas afirmou não ter encontrado ilegalidades.

O proprietário do local, que permitiu a entrada da ao local, atendeu a reportagem. ““É domingo, quem não gosta de fazer uma festinha, um churrasquinho”, afirmou.

A cenário encontrado pela na segunda fiscalização foi diferente dos vídeos enviados ao Jornal Midiamax, que revelam que era bem maior o número de participantes, até mesmo nas primeiras horas de sol desta manhã, caracterizando evento de grande magnitude.

Conforme a denúncia, a festa “Klandestine” foi organizada por ao menos 8 pessoas em um grupo de WhatsApp. Os organizadores teriam cobrado R$ 20 pela entrada e a localização do evento foi compartilhada apenas com os convidados diretamente chamados pelos administradores. A previsão era de que o evento começasse às 22h do sábado e terminasse apenas às 18h deste domingo.

Ainda conforme a denúncia, diversos integrantes do grupo também comunicaram que venderiam drogas. Também havia orientação por parte dos organizadores para que as postagens de fotos e vídeos fossem feitas apenas após o evento.

Fala Povo: fale com os jornalistas do Midiamax

A denúncia foi feita nas redes sociais do Jornal Midiamax, que também disponibiliza o WhatsApp “Fala Povo”, no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

VÍDEO: Pelo WhatsApp, jovens organizam rave clandestina e lotam casa em Campo Grande
Mais notícias