Pela segunda vez, advogada não vai a julgamento e acaba multada em R$ 10 mil

No início do mês, a advogada faltou ao julgamento de outro cliente causando o adiamento

Ao faltar novamente ao júri nesta quarta-feira (21), em Campo Grande, uma advogada acabou multada pelo juiz Aluizio Pereira dos Santos em R$ 10 mil. No dia 2 de outubro, ela também faltou ao julgamento de outro cliente causando assim o adiamento.

Nesta quarta (21) iria a julgamento Diogo Guilherme Firmino por ter matado asfixiado o colega de cela, Elizeu Ribeiro de Jesus, em outubro de 2018. A morte teria ocorrido depois de uma briga por causa do de uma televisão. Na época, Diogo disse que há quatro dias havia tido um desentendimento com Elizeu por causa de um baralho, que a vítima queria emprestado. Os dois estavam presos pelo crime de tráfico de drogas desde o fim de setembro.

No dia 2 deste mês também sem justificativa, a advogada faltou ao julgamento de outro cliente, o que também resultou em multa aplicada pelo juiz que nomeou nos dois casos um defensor público para que faça a defesa dos réus.

O juiz ainda em seu despacho afirmou que a advogada deve arcar com as custas do processo, já que houve intimação de 25 jurados, verba para almoço, escolta para o preso. A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) já teria sido notificada anteriormente na outra falta da advogada.

Pela segunda vez, advogada não vai a julgamento e acaba multada em R$ 10 mil
Mais notícias