PCC tem seis denunciados em execução por engano de mulher no Noroeste

Vítima foi assassinada por engano no lugar do marido, verdadeiro alvo

A facção criminosa (Primeiro Comando da Capital) tem seis integrantes denunciados pela execução de Sonia Estela Flores dos Santos, morta por engano no lugar do marido na tarde do dia 2 de abril, no Jardim Noroeste, em Campo Grande. Respondem pelo crime Alisson dos Santos Ferreira, Crevan Silva dos Santos, Glyquison Mendes dos Santos, Flávio Vinicius Ferreira da Silva, Kaio Humberto Gomes dos Santos e Sidnei Rerostuk.

O juiz Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do , determinou para o dia 16 de novembro, às 13h30, a audiência para oitiva das testemunhas. Conforme noticiado à época, o alvo da execução seria o marido de Sonia, que teria praticado atitudes reprovadas pelo , dentre elas o assassinato de um membro da organização, bem como ser suspeito de estupro. A mulher foi morta a tiros na Rua Adventor Divino de Almeida.

Na data dos fatos, Kaio estava armado, a bordo de uma moto pilotada por Crevan. Eles se aproximaram do automóvel conduzido pelo alvo principal, que transportava a esposa. No entanto, os pistoleiros erraram e acabaram matando a mulher a tiros. O marido dela estava jurado de morte, motivo pelo qual Flávio, uma das lideranças, deu a ordem de execução. Ele arquitetou o plano de dentro do presídio e teve apoio de Sidnei, que monitorava a vítima.

No dia do homicídio, informações sobre o paradeiro foram enviadas a Alisson, que também auxiliava no monitoramento, e a Glyquison, que foi o responsável por apontar onde o carro das vítimas estavam.

PCC tem seis denunciados em execução por engano de mulher no Noroeste
Mais notícias