Ourives comprou joias furtadas de condomínio e as transformou em barras de ouro

Seis pessoas foram presas em ação do Batalhão de Choque da PM

O Batalhão de Choque da Polícia Militar revelou que um dos presos na manhã desta sexta-feira (28), por envolvimento no furto de cofre com R$ 500 mil em condomínio de luxo de Campo Grande, é um empresário que comprou as jóias por R$ 5 mil e as derreteu, transformando-as em quatro barras de ouro. Ao todo, seis pessoas foram presas na ação. Inicialmente, elas disseram que o valor pago seria R$ 50 mil, mas acabaram diminuindo.

Conforme divulgado, durante rondas pelo bairro Tiradentes, os policiais avistaram que um suspeito fugiu. Por este motivo, as equipes fizeram buscas e abordaram grupo que estava em um imóvel. Era um homem de 20 anos e dois adolescentes, de 16 e 17 anos. No local foram encontrados vários objetos que haviam sido furtados do condomínio Shalom, na região do Jardim Noroeste, na sexta-feira da semana passada.

O rapaz de 20 anos confessou ter sido o responsável pelos furtos e alegou que os dois menores teriam participado da ação. A partir destas informações, os policiais chegaram à localização de onde estava uma das armas levadas do imóvel. Na sequência, foi descoberto que as joias haviam sido vendidas para uma empresa localizada na Rua Barão do Rio Branco, cujo ourives pagou R$ 50 mil e as derreteu.

No local, o homem, após tentar despistar os policiais, acabou confessando a compra. Os comparsas então alegaram que ao invés de R$ 50 mil, ele havia pago apenas R$ 5 mil. O caso foi encaminhado à Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos). Os adolescentes foram para a Deiaj (Delegacia Especializada de Proteção à Infância e à Juventude). Foram apreendidos um revólver calibre 32, seis relógios, R$ 1.129 em espécie, um veículo Gol usado no crime, quatro barras de ouro e três perfumes.

Furto

Conforme já noticiado, o morador recebeu ligação do porteiro, informando que as portas da casa estavam abertas e que as luzes dos cômodos estavam acesas. O morador disse que não estava em casa e pediu para que o porteiro verificasse o que havia acontecido.

O funcionário entrou na casa e viu que os quartos estavam revirados, com coisas no chão, garrafas de cerveja e vários pertences jogados. O morador só deu falta de um cofre, onde havia jóias, dois revólveres, documentos, 130 euros e 320 dólares. Bandidos ainda levaram várias voltas de marca. A vítima estima a perda em torno R$ 500 mil. 

Mais notícias