Operação Praetorium Minati cumpre mandados contra PCC na Máxima

Operação acontece depois de ameaças a um juiz de Tocantins

A Polícia Civil cumpre mandados no Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande, na deflagração da Operação Praetorium Minati, contra a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). A operação cumpre mandados no Tocantins e Mato Grosso, nesta segunda-feira (3).

Ao todo são cumpridos 29 mandados, sendo que Campo Grande é uma das cidades alvos da operação, que teve início após a descoberta de um plano para assassinar juízes de Palmas, no Tocantins. Equipes do Batalhão de Choque estão na Máxima, nesta segunda (3).

Vários detentos da facção criminosa serão transferidos nesta segunda (3) para o novo presídio de Campo Grande. Parte dos transferidos são alvos da operação e outros seriam detentos que correm risco de morte. Um helicóptero do Cope, da polícia penal dos agentes penitenciários é usado na operação.

Operação

No dia 16 de janeiro de 2018, foi descoberto uma carta que foi redigida e que depois teria sido transcrita dois dias depois por membros da facção. A carta foi encontrada no Pavilhão B da Casa de Prisão Provisória de Palmas em 18 de janeiro de 2018. “O conteúdo do texto ora profere citações bíblicas com teor distorcido, ora ressalta que o autor precisa sair da unidade prisional a fim de que faça, segundo suas palavras, uma ‘união’ entre as facções”, explicou o delegado Eduardo Menezes ao site Portal Benício. No texto existe uma ameaça a um juiz de Palmas.

Novo presídio

O novo presídio foi inaugurado no dia 26 de janeiro deste ano, com uma estrutura de 101 celas construídas com material resistente a escavações dificultando fugas de detentos, o novo presídio de segurança Máxima da Gameleira, fica a 100 metros do presídio semiaberto, na zona rural da cidade.

Mais notícias