Operação na Favela do Mandela prende foragido por morte de policial e mira tráfico do PCC

Segundo PM, favela é usada como esconderijo de membros de facções criminosas

Operação Vigilante na Favela do Mandela, realizada nesta quinta-feira (22) pela 11ª Companhia Independente, Batalhão de Choque, Batalhão de Trânsito e Cavalaria da prendeu um foragido com três mandados de prisão e mira tráfico de drogas. A suspeita é que traficantes utilizem o local como esconderijo.

A prisão de Uildes Junior de Oliveira Ramos pela morte do sargento da PM Marino Soares, 62, ocorreu na madrugada de quarta-feira (21). No começo do mês, em outra abordagem na favela, ele usou identidade falsa no nome de Thiago Rodrigues da Cunha, mas acabou sendo descoberto dias depois e levado para a delegacia. Durante a abordagem, ele mordeu a mão de um PM.

Operação na Favela do Mandela prende foragido por morte de policial e mira tráfico do PCC
Ao resistir à prisão, foragido mordeu mão de policial. (Foto: Divulgação/ 11ª CIPM)

O crime aconteceu em 2019 em Cuiabá-MT. Uildes já tinha passagem por roubo e furto em 2017 e estava com mandado de prisão em aberto por roubo, latrocínio e falsidade ideológica. Os mandados foram expedidos em abril de 2019, julho de 2019 e agosto de 2020.

A Operação continua na Favela do Mandela, uma vez que o local é usado como esconderijo de traficantes de drogas e membros de facções criminosas. Segundo o tenente coronel Edgar Almada, um dos barros era usado pela família de Uildes. “Não podemos descuidar dessa comunidade, as facções estão usando para abrigar seus membros”.

As equipes cercam o Favela, já que existe uma área de mata ao entorno. Cinco policiais com cavalos da Cavalaria da dão apoio às equipes por terra.

Operação na Favela do Mandela prende foragido por morte de policial e mira tráfico do PCC
Mais notícias