Oito regiões de Campo Grande serão alvo de campanha de violência contra a mulher

Campanha tenta incentivar mulheres vítimas de violência a pedirem ajuda

Com a frase “Estamos aqui para apoiar você” é que o (Ministério Público Estadual) lança nesta quarta-feira (25) uma campanha que vai percorrer a Capital, mas com concentração onde os índices de violência contra a mulher são maiores.

A iniciativa é realizada por meio do Centro de Apoio Operacional dos Direitos Constitucionais do Cidadão, e Pessoas com Deficiência e do Nevid (Núcleo de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher), em alusão aos “16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”.

Com cartazes, panfletos, “backbus”, “busdoors”, comerciais para rádio e televisão e posts nas redes sociais, a campanha pretende estimular as vítimas de relacionamentos abusivos a reconhecerem situações de violência e buscarem ajuda.

Em Campo Grande, a campanha será concentrada principalmente em locais que apresentam o maior índice de violência contra as mulheres, sendo os bairros Aero Rancho, , Tiradentes, Noroeste, Nova Lima, Nova Campo Grande e as Regiões do Anhanduizinho e Imbirussu.

Organizada pela ONU (Organização das Nações Unidas) Mulheres, os “16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres” é uma mobilização da sociedade civil e do poder público, engajados no enfrentamento a esta questão.

A campanha

A Campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres” foi criada em 1991 por 23 feministas de diferentes países, reunidas pelo Centro de Liderança Global de Mulheres (CWGL), localizado nos . Trata-se de uma mobilização educativa e de massa que luta pela erradicação desse tipo de violência e pela garantia dos direitos humanos das mulheres.

O objetivo estratégico da campanha, no Brasil, é dar visibilidade às diversas formas de violência de gênero e doméstica contra as mulheres previstas na , como uma questão pública a ser enfrentada no âmbito dos direitos humanos e da luta por uma nova sociedade mais igualitária, sem opressão e exploração.

Onde buscar ajuda

A mulher que sofreu violência doméstica pode buscar ajuda e orientação na 72ª Promotoria de Justiça que funciona nas dependências da Casa da Mulher Brasileira, por meio do telefone (67) 3318-3970. As linhas de ônibus que passam em frente à Casa da Mulher são: 409, 413, 414, 415 e 421.

Oito regiões de Campo Grande serão alvo de campanha de violência contra a mulher
Mais notícias