Novidade no mercado, PIX pode atrair golpistas e consumidores precisam se atentar

Procon de Campo Grande faz alerta para evitar prejuízos com a ferramenta

Como qualquer nova tecnologia que envolve transações financeiras pela internet, o PIX também está sujeito a ser usado em golpes, da mesma maneira que tem acontecido com importantes plataformas de vendas. Por este motivo, o Procon de Campo Grande faz alerta e deixa dicas que podem ajudar a identificar e prevenir ações maliciosas.

O serviço funciona com as contas que o cliente já tem em alguma instituição bancária. A expectativa do mercado é que o sistema seja o grande substituto de DOCs e TEDs, por ser e por estar disponível a qualquer hora, sete dias por semana, inclusive aos sábados, domingos e feriados. A quantia depositada cai instantaneamente na conta.

Por conta dessas facilidades, os golpistas tendem a agir, especificamente, no ato de cadastramento da nova plataforma, que terá serviços disponíveis somente a partir do próximo dia 16. Na forma mais comum de golpe, os criminosos entram em contato por e-mail, redes sociais ou SMS. Normalmente, é oferecido o cadastro de forma simplificada e um endereço para uma página fraudulenta que tenta fazer o download de um arquivo malicioso. 

Segundo o Procon, consumidores que estão em busca do melhor preço, da entrega mais rápida, do melhor negócio, podem acabar caindo em uma armadilha. “Se receber um anúncio de um site de vendas e se interessou, saia desse anúncio, saia desse link, saia desse e-mail e busque o site. Digite o nome da empresa. (…) Você vai chegar no site original da empresa e lá você vai poder conferir se aquela propaganda realmente existia ou se é uma propaganda falsa, maquiada no site de uma grande empresa”.

O registro de um domínio é o primeiro estágio de um golpe. Entre os domínios maliciosos podemos encontrar: chavepix.me; gerenciadorpix.com; pagarpix.com; pixapp.online; pixbrasil.tech; pixempresas.com; suportepix.online e pix.atualizacaowebsegura.gq. Geralmente, os fraudadores utilizam técnicas de phishing para atrair a atenção das vítimas. São enviadas mensagens por aplicativos, SMS e também e-mail contendo falsas informações sobre o cadastro das chaves. 

As comunicações se passam por instituições oficiais e afirmam que a vítima pode fazer o seu cadastro “em menos de um minuto”, por exemplo. As chaves são cadastradas utilizando o , número de telefone e endereço de e-mail dos clientes. Ou, se preferir, pode ser utilizada uma chave aleatória, gerada pelo sistema das instituições.

O que fazer em casos de golpes?

O consumidor sendo vítima de algum golpe, acaso a instituição financeira tenha sido culpada pelo vazamento dos dados e comprometido as informações particulares poderá ela ser responsabilizada. Nesses casos, o cidadão pode procurar o Procon Campo Grande, para registro da denúncia. O Procon também atende pelo telefone 156 opção 2.

Novidade no mercado, PIX pode atrair golpistas e consumidores precisam se atentar
Mais notícias