Mulher que matou pedreiro esfaqueado após anos de violência doméstica ganha liberdade

Ela deve cumprir as medidas cautelares ou pode ser presa novamente

Mulher de 59 anos, presa há um mês no Jardim Tarumã, em Campo Grande, pela morte do marido José Bonifácio da Silva, de 60 anos, teve alvará de soltura concedido. Ela chegou a ter a prisão preventiva decretada pelo juiz, mas depois conseguiu a liberdade com cumprimento de medidas cautelares.

A decisão foi publicada nesta terça-feira (26) no Diário da Justiça e é datada do dia 20 de maio. A defesa da acusada já tinha tentado a liberdade anteriormente por causa do coronavírus, mas na época o pedido foi negado pelo juiz. Já em decisão na última semana, foi concedido habeas corpus, com cumprimento de medidas cautelares.

A mulher deve comparecer mensalmente em juízo, também comparecer a todos os atos do processo em que for intimada e não pode se ausentar da comarca sem antes comunicar a Justiça. O alvará de soltura foi expedido em 21 de maio e cumprido no mesmo dia.

Homicídio e violência doméstica

Após ser presa pela morte do marido, a mulher de 59 anos se disse arrependida na delegacia. Ela contou que era constantemente agredida verbalmente pelo idoso, mas nunca tinha registrado contra ele um boletim de ocorrência.

No dia do crime, José saiu para cortar o cabelo e voltou já com uma garrafa de pinga. A família teria bebido, quando o homem começou a brigar com um dos filhos. Irritada, a mulher foi até a cozinha onde pegou a faca e golpeou o marido três vezes. Ele ainda foi socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), mas não resistiu.

Quando a polícia chegou na casa da autora, a encontrou dormindo. Ela chegou a alegar que tinha bebido e só se lembrava de ter dado uma das facadas no marido. Ela responde por homicídio simples.

Mulher que matou pedreiro esfaqueado após anos de violência doméstica ganha liberdade
Mais notícias