MP é contra liberdade de rapaz que matou namorada em acidente

Para MP, mortes provocadas por condutores embriagados, ocasionam a instabilidade social

O (Ministério Público de ) se manifestou contra a liberdade de Ricardo Júnior, 24 anos, responsável pelo acidente que matou a namorada Barbara Wsttany Amorim Moreira de 21 anos. A promotora Grázia Strobel da Silva Gaifatto afirma que, caso não se mantenha a prisão, haverá uma sensação de impunidade no caso de mortes provocadas por condutores embriagados.

Ricardo passou por audiência de custódia, mas a Justiça deve definir, em um prazo de 48 horas, se mantém, ou não, a prisão do rapaz. A defesa elenca que o cliente tem emprego e endereço fixo, também tem filho de oito anos.

Para o MP, não se mostrou claramente que Ricardo é responsável pela guarda do menino. “(…) o representado não fez qualquer prova de que era efetivamente o responsável pela guarda e subsistência do filho antes de sua prisão (…)”, destacou a promotora, além de defender que há materialidade e indícios suficientes de autoria.

A promotora ainda elenca outros elementos para manter a prisão do rapaz, como estar dirigindo embriagado, em alta velocidade e ainda desrespeitando o toque de recolher imposto em decreto municipal, que “indicam a notória gravidade do comportamento do representado, e o seu descompromisso para com às normas de convívio social”.

Acidente

O acidente ocorreu às 20h17 de sábado (11). As imagens obtidas pelo Jornal Midiamax, através de câmera de vigilância da região, mostram o Peugeot em alta velocidade pela rua 11 de Outubro, bairro Cabreúva.

Ricardo teria perdido o controle do carro quando passou por uma saliência no cruzamento da rua Jacarandá. Após, o carro colide na parede de uma residência e capota.

Bárbara estava no banco do passageiro e foi arremessada para fora do veículo. Ela teve esmagamento de crânio e morreu.

No carro, de acordo com a polícia, foram encontradas quatro garrafas de cerveja 600 ml e uma garrafa fora do veículo. “Ele assumiu o risco ao beber e ao andar em alta velocidade na via, por isso deverá responder por homicídio doloso e embriaguez ao volante”, explicou o delegado Antônio Ribas Junior, da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro.

MP é contra liberdade de rapaz que matou namorada em acidente
Mais notícias