Morre florista baleada pelo ex-namorado em frente ao trabalho no Carandá Bosque

Este é o primeiro feminicídio registrado em Campo Grande em 2020

Morreu, no fim da tarde deste sábado (18), a florista Regiane Fernandes de Farias, aos 39 anos. Ela teve uma parada cardiorrespiratória e os médicos não conseguiram reanimá-la no Centro Cirúrgico da Santa Casa de Campo Grande. O óbito ocorreu por volta das 17h de hoje e marcou o primeiro feminicídio registrado na Capital em 2020.

Regiane foi ferida a tiros no pescoço pelo ex-namorado na manhã deste sábado, no bairro Carandá Bosque, em Campo Grande, e passou por cirurgia na Santa Casa, onde chegou em estado crítico e ficou em coma.

O autor dos disparos, Suetonio Pereira Ferreira, 57 anos, tentou se matar com um tiro na região do ouvido, mas foi socorrido e não corre risco de morrer. Ele está na área verde do hospital, internado sob escolta policial. Ele passou por exames de tomografia de crânio e, em seguida, foi liberado pela neurologia.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, flor e planta
Foto de Regiane Fernandes de Farias em seu perfil no Facebook. “Não tenho medo de morrer… Tenho pena!!!”, registrou em sua apresentação. (Reprodução/Facebook)

O crime aconteceu por volta das 8 horas da manhã deste sábado (18), quando a florista chegava ao trabalho e o ex-namorado já estava a sua espera e armado. Um colega da florista contou que, quando a vítima chegou, o ex-namorado desceu do carro armado, momento em que ele colocou todos os funcionários que esperavam a floricultura abrir junto da mulher dentro de uma van, mas ela resolveu sair do veículo para conversar com o ex, que desferiu os tiros. Ela já teria sofrido violência doméstica por parte do motorista de aplicativo.

Foram ouvidos cinco disparos, sendo que a mulher teria sido atingida na região próximo ao pescoço e em seguida o homem teria desferido um tiro contra seu ouvido. Segundo o relato das testemunhas, o autor não aceitava o fim do relacionamento. Duas viaturas do Samu e dos bombeiros foram chamadas para o local. A Polícia Militar também foi acionada. Não há informações do estado de saúde do casal.

A arma usada no crime contra a florista, ferida a tiros pelo ex-namorado, foi um revólver calibre 44 e foi apreendida pela polícia.

A florista relatou que há alguns dias a irmã do autor telefonou e comentou que ouviu o irmão dizendo que compraria uma arma de fogo, sem dar motivos. O caso é tratado como feminicídio na forma tentada. O celular da vítima também foi apreendido.

Morre florista baleada pelo ex-namorado em frente ao trabalho no Carandá Bosque
Mais notícias