Moro diz que fugitivos que entrarem no Brasil ganham ‘passagem só de ida’ para presídio

Ministro twittou que o Brasil está à disposição do Paraguai para auxiliar nas buscas

No início da tarde deste domingo (19), o ministro Sérgio Moro, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, se pronunciou a respeito da fuga em massa de membros do PCC (Primeiro Comando da Capital). A fuga aconteceu em território paraguaio, em Pedro Juan Caballero, mas teve pelo menos 40 brasileiros envolvidos.

Nas publicações, o ministro afirmou que as forças de segurança nacionais trabalham em conjunto com as forças estaduais para impedirem a reentrada dos criminosos no território brasileiro. “Se voltarem ao Brasil, ganham passagem só de ida para presídio federal”, afirmou.

O ministro ainda ponderou que está à disposição para ajudar o Paraguai na recaptura dos criminosos e que o país vizinho tem sido grande aliado na luta contra o crime. Até o momento foi confirmada a fuga de 75 detentos do Presídio de Pedro Juan Caballero, dos quais 40 seriam brasileiros, envolvidos com crimes de pistolagem e tráfico de drogas.

Estão na região de fronteira forças policiais da Polícia Militar, Polícia Civil, DOF (Departamento de Operações de Fronteira), Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Bancos e Sequestros), GPA (Grupamento de Patrulhamento Aéreo) com helicóptero, Batalhão de Choque, Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), PRE (Polícia Rodoviária Estadual), além de outras forças de segurança.

Apesar do intenso trabalho policial, ainda não foi divulgada recaptura de presos. Em clima tenso no território paraguaio, diretoria e agentes do presídio por onde os 75 presos teriam fugido por um túnel escavado foram detidos. Eles são ouvidos e investigados por participação no crime. Também são investigadas pessoas de fora do presídio que teriam ajudado com a fuga.

Em uma das celas do presídio foram encontrados pelo menos 200 sacos com areia retirada do túnel. Membros do governo paraguaio citaram que seria impossível a escavação de um túnel e fuga em massa sem que ninguém percebesse. As imagens das câmeras de circuito interno teriam apontado que agentes sabiam da fuga e viram, mas não teriam agido.

Mais notícias