Moradora de reserva indígena em MS é chamada de ‘cadela’ e sofre ameaça de morte

Segundo a ocorrência, caso teria origem em crise de ciúmes

Uma indígena de 27 anos, residente na Aldeia Bororó, Reserva Federal de Dourados procurou a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) para denunciar que foi agredida verbalmente por um casal. O boletim foi registrado na tarde desta sexta-feira (16).

De acordo com a denunciante, a acusada é suspeita de ser foragida da Justiça em Fátima do Sul e que as agressões  têm acontecido há aproximadamente uns três meses. Em uma dessas ameaças, a acusada teria chamado a vítima de “macumbeira, cadela branca, destruidora de lar, corna mansa”.

Ainda conforme a ocorrência registrada na Depac, o caso teve origem em uma crise de ciúmes, causada por suposta mensagem enviada por meio de redes sociais ao marido da acusada e que teria sido  atribuída à vítima, que negou o procedimento.

Moradora de reserva indígena em MS é chamada de 'cadela' e sofre ameaça de morte
Mais notícias