Na pandemia, número de assassinatos subiu 3% em MS e quase dobrou em Campo Grande 

Só na capital foram 80 mortes violentas em 2020

Nem mesmo as medidas de isolamento impostas durante a pandemia foram capazes de frear a violência contra a vida em . Números da Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública) mostram que os homicídios cresceram 3% entre o dia 1º de janeiro e 21 de agosto de 2020, saltando de 254 casos em 2019 para 262 neste ano.

No entanto, em Campo Grande a situação é mais alarmante, já que o total de mortes quase que dobrou. No mesmo período do ano passado, a capital sul-mato-grossense teve 38 homicídios, e em 2020 já são 73, o que representa crescimento de 92,1%. O município também teve sete casos de feminicídio em 2020, contra 5 casos no mesmo período em 2019.

Em âmbito estadual, o total de feminicídios no período se manteve o mesmo, com 21 casos. Agentes da , profissionais treinados para situações de conflito, também têm sido alvos da criminalidade. Na tarde desta quinta-feira, o policial civil Joel Benites da Silva, de 53 anos, foi morto a tiro durante roubo no Jardim Leblon, em Campo Grande.

Em caso emblemático de feminicídio,  Carla Santana Magalhães, de 25 anos , foi sequestrada e assassinada por um vizinho no mês passado, na região do bairro Tiradentes. A jovem saía de casa para ir a um mercado, quando foi abordada pelo assassino que a imobilizou e a levou para o imóvel ao lado. Lá, a matou e depois a estuprou, deixando o corpo debaixo da cama por dias.

Em todo o Brasil, nos primeiros seis meses de 2020 os homicídios cresceram 6%, saltando de 21.357 mortes violentas em 2019 para 22.680.

Na pandemia, número de assassinatos subiu 3% em MS e quase dobrou em Campo Grande 
Mais notícias