Membro do PCC mata rival com 60 facadas em presídio no Paraguai e agrava crise na fronteira

Crime agrava a crise penitenciária instalada no país vizinho

Preso integrante do PCC (Primeiro Comando da Capital) é suspeito de matar a facadas um rival do Clã Rotela, no Presídio Regional de Misiones, no Paraguai. O crime teria ocorrido na tarde desta segunda-feira (20) e agrava a crise penitenciária instalada no país vizinho desde que 76 presos ligados ao PCC fugiram em Pedro Juan Caballero, deixando autoridades em alerta máximo na fronteira, na linha internacional com Mato Grosso do Sul.

De acordo com o jornal ABC Color, o morto foi identificado como Alexander Gabriel Benítez Alcaral. Ele foi atingido por cerca de 60 facadas em todo o corpo, chegou a ser socorrido e encaminhado ao Hospital Regional de San Juan Bautista, mas não resistiu aos ferimentos. O ataque ocorreu no Pavilhão, onde chegou a iniciar motim no local.

Foi preciso intervenção da Polícia Nacional e das forças de controle de conflito de San Juan Bautista. Autoridades paraguaias se mobilizam para fortalecer a segurança em todas as unidades prisionais do país desde a fuga deste domingo. O objetivo é impedir novas ações das facções brasileiras que têm presença maciça, especialmente PCC e CV (Comando Vermelho).

Fuga

Por volta das 5 horas da madrugada deste domingo, detentos membros do PCC fugiram através de um túnel escavado de dentro da unidade até o lado de fora. Mais de 70 metros escavados, mais de 200 sacos de areia deixados em uma das celas da penitenciária e o fator mais questionado foi se nenhum agente penitenciário viu a fuga ou mesmo a escavação ou sequer suspeitou.

Mais notícias