Matador do PCC que participava de tribunais do crime em Campo Grande é preso pelo Choque

‘Cone’ já era procurado e com prisão, polícia espera desvendar homicídios na Capital

Acusado por diversos homicídios e pela participação em julgamentos conhecidos como ‘tribunais do crime’, Márcio Douglas Pereira, mais conhecido como ‘Cone’, foi preso por policiais militares do Batalhão de Choque neste domingo (15). Márcio é considerado um dos maiores matadores do PCC (Primeiro Comando da Capital) em Campo Grande. Com a prisão dele, a DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios) espera localizar o corpo de Maykel Martins Pacheco.

Após denúncias, Cone foi localizado no bairro Campo Alto na manhã deste domingo. Ele estava com a esposa e filhos, quando foi abordado. Cone também estava com o veículo preto, visualizado por algumas testemunhas em um homicídio no bairro Los Angeles. Não resistindo a prisão, Cone detalhou sua participação nas mortes de um açougueiro no Portal Caiobá e de Maykel. Ele revelou que agia a mando de internos do presídio de Segurança Máxima de Campo Grande.

Durante a prisão, a polícia também identificou uma jovem, que conduzia o veículo preto para que Márcio buscasse as armas que seriam utilizadas em homicídios.

Ocultação de cadáver

Maykel Martins Pacheco, 19 anos, morador na Vila Nhanhá, desapareceu no início do mês de dezembro de 2019 e o corpo ainda não foi localizado. Até o momento, a investigação aponta que ele foi vítima do tribunal do crime do PCC, por pertencer à facção rival CV (Comando Vermelho). Ainda em dezembro, quatro homens foram presos durante as investigações.

A última pessoa a ser vista com Maykel foi Tales Valensuela Gonçalves, 22 anos, que contou sobre sua participação no assassinato. Segundo depoimento, ele levou Maykel até a cantoneira, a casa que servia de cativeiro até que ele fosse assassinado. Tales revelou aos policiais que é membro do PCC e que a casa pertencia a Iago Gustavo Ribeiro Bronzoni, 20 anos.

No cativeiro, Tales disse que estavam, além de Iago, Márcio Fernandes Feliciano, 40 anos, Everson Silva Gauna, 20, e pelo menos mais outros dois suspeitos. Iago confirmou que Maykel tinha sido mantido refém naquela casa por aproximadamente seis horas e depois foi levado até o local onde teria sido executado.

Açougueiro morto no Caiobá

O açougueiro Gyllyan Castilho Ramos, 33 anos, foi morto no dia 6 de novembro de 2019, na Rua Rosa Abussafi dos Santos, bairro Portal Caiobá II, em Campo Grande. Uma das linhas de investigação da polícia aponta que a vítima pode ter se envolvido em uma briga entre facções criminosas.

Matador do PCC que participava de tribunais do crime em Campo Grande é preso pelo Choque
Mais notícias