Mais uma vítima: mulher procura polícia após pagar R$ 4 mil por panelas de ciganos

Foi abordada pelos autores no estacionamento de uma clínica veterinária

Mais uma vítima de 34 anos procurou a delegacia de polícia de Campo Grande, na noite a terça-feira (19) depois de descobrir que também havia caído em um golpe aplicado pelo grupo de ciganos que vendiam panelas superfaturadas na cidade.

A mulher contou na delegacia, que estava no estacionamento de uma clínica veterinária, no dia 15 e mês quando foi abordada por integrantes da quadrilha que ofereceram as panelas afirmando que tinham vindo para uma feira, mas por causa da pandemia de coronavírus (Covid-19) o evento havia sido cancelado e estavam vendendo os produtos.

Eles ofereceram as panelas que segundo os integrantes da quadrilha custariam cerca de 900 euros e mais um faqueiro pelo valor de R$ 4.200, parcelado em 120 vezes pela mulher que acabou comprando os produtos só percebendo que havia sido enganada depois da divulgação das matérias envolvendo o grupo e da prisão deles. Ela disse que no canhoto do parcelamento das panelas estava creditado como ‘Deus é Fiel II”. Todo o material foi entregue na delegacia.

A Polícia Civil já teria contabilizado mais de 10 vítimas do grupo de ciganos presos no último domingo (16), após a venda de panelas superfaturadas em estacionamentos de supermercados na Capital. Os presos pagaram fiança de R$ 5 mil e deixaram a cadeia, nesta segunda-feira (18).

Informações passadas pela polícia são de que várias vítimas do grupo já teriam procurado a delegacia para o registro de boletins de ocorrência, sendo mais de 10 pessoas que foram enganadas pelos ciganos. O total de vítimas pode ser maior ainda, segundo o delegado Mikail Farias da 1º Delegacia de Polícia Civil. O prejuízo causado pelo grupo já ultrapassa os R$ 7 mil.

O grupo prestou depoimento, e segundo eles estariam em Campo Grande há cerca de 10 dias e teria vendido diversos jogos de panelas, não sabendo precisar a quantia exata. Segundo uma das presas, o descontentamento dos clientes seria de saber que é possível comprar as panelas por eles vendidas a preço menor pela internet, porém, nada teria a ver com a qualidade do produto oferecido ou com um suposto golpe.

Mais uma vítima: mulher procura polícia após pagar R$ 4 mil por panelas de ciganos
Mais notícias