Mãe que matou menina de 10 anos ainda tentou levar celular para presídio

Ela escondeu o aparelho nas partes íntimas

Emileide Magalhães, de 30 anos, presa pelo assassinato da filha de 10 anos no domingo (22), ainda estava com o celular escondido nas partes íntimas quando foi levada para a delegacia. Para a polícia, ela não quis dar detalhes sobre o ocorrido. O crime aconteceu em Brasilândia, a 382 quilômetros de Campo Grande.

Conforme as primeiras informações sobre o caso, a menina de 10 anos sofria abusos por parte do padrasto. O irmão da vítima, de 13 anos, foi quem confirmou o fato para a polícia e ainda contou que ajudou a mãe a cometer crime. De acordo com o Perfil News, o menino revelou que o padrasto estuprava a irmã dele e por isso a mãe teria matado a menina.

Ainda não há informação se a mulher teria cometido o crime para tentar livrar o marido das acusações ou por ciúmes. Ela teria confirmado o homicídio, mas não deu detalhes para a polícia e disse que se pronunciaria apenas em juízo. Na delegacia, foi descoberto que ela estava com um celular escondido nas partes íntimas, já que sabia que seria levada ao presídio.

Emileide já tem passarem por tráfico e responderá pelo homicídio da filha. As investigações sobre o caso continuam e o marido dela também já teria sido ouvido pela polícia.

Mãe que matou menina de 10 anos ainda tentou levar celular para presídio
Mais notícias