Justiça solta presos em flagrante com cocaína avaliada em R$ 30 mil

Acusados terão que usar tornozeleira eletrônica e recolherem-se à noite, em fins de semana e feriados

Dois homens presos em flagrante com carga de cocaína avaliada em R$ 30 mil e com antecedentes criminais (roubo e receptação) conseguiram na Justiça medida cautelar que estipulou aos envolvidos liberdade mediante utilização de tornozeleira eletrônica.

Durante a audiência, o juiz de direito considerou que os requisitos para decretar prisão preventiva não foram cumpridos e que devido à primariedade – apesar dos antecedentes -, bom comportamento e devido os acusados terem residência física e trabalho lícito, seria concedida medida cautelar, com uso de tornozeleira eletrônica e recolhimento à noite, aos fins de semana e em feriados.

A prisão dos acusados foi feita pela Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico) na segunda-feira (16), após uma denúncia anônima da existência de uma boca de fumo em uma residência no bairro Jardim Presidente.

A partir da denúncia, policiais começaram investigação e confirmaram o crime de tráfico, ao flagrarem um usuário sair de dentro da casa alvo da denúncia e que admitiu ter comprado entorpecentes no local. Ao entrarem na residência, os homens encontraram cerca de 1,5 kg de cocaína, avaliada em R$ 30 mil, dentro de uma mochila. Dois homens de 34 e de 29 anos foram presos e um menor, de 17 anos, foi apreendido.

Aos policiais, os homens afirmaram que venderiam a droga pelo dobro, ou seja, R$ 60 mil. Foi constatado que os traficantes têm ligação com um detendo do Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande, com quem dividiriam o lucro. Também há indícios de que pelo menos um deles tem relação com uma facção.

Segundo o delegado Hoffman D’Ávila Cândido de Souza, da Denar, os suspeitos foram enquadrados por tráfico e associação criminosa, além de corrupção de menores. O adolescente apreendido foi encaminhado para a Unei Novo Caminho.

Mais notícias