Justiça nega restituição de carro usado no assassinato de policial civil

Crime ocorreu em fevereiro deste ano

A Justiça negou pedido de restituição de um veículo Fiat Uno apreendido que teria sido usado no assassinato do policial civil Arthur Kemechian, executado com 12 tiros no centro de Sete Quedas no dia 6 de fevereiro deste ano. O veículo pertence a Osmar Santos Espíndola de Oliveira, um dos réus do homicídio.

A defesa recorreu alegando que se passaram três meses desde a apreensão do automóvel e não foram realizadas diligências que justificassem a permanência em estado de indisponibilidade. No entanto, em sua decisão o Milton Zanutto Junior considerou que o bem segue apreendido até que a sentença final seja transitada em julgado.

“Neste contexto, o veículo está apreendido visto que, supostamente,teria sido utilizado na prática delitiva que está em apuração e, nesta condição, ainda interessa ao feito, visto que a depender do resultado do julgamento pode haver o perdimento ao final do processo”, entendeu o magistrado.

Justiça nega restituição de carro usado no assassinato de policial civil
Mais notícias