Irmã de menina de 7 anos que também era estuprada presta depoimento

Polícia ainda está à procura do casal

A irmã da menina de 7 anos que foi estuprada pelo pai, em Campo Grande, e vídeos dos abusos denunciaram o crime, prestou depoimento nesta sexta-feira (17), na Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente). Ela também teria sido estuprada pelo homem, quando era criança.

A jovem de 21 anos chegou na delegacia por volta das 8 horas da manhã desta sexta (17), para prestar depoimento. Não foi divulgado o teor da oitiva da mulher, que também já teria sido estuprada pelo autor quando a família morava em Corumbá. Ele é considerado foragido, já que tem um mandado em aberto pelo crime de estupro de 2017, em Corumbá.

A polícia ainda procura pelo casal, que fugiu. Informações extraoficiais são de que o homem e a mulher foram vistos na cidade de Sidrolândia. A menina de 7 anos confirmou que tinha sido abusada pelo pai.

Uma testemunha chamou a polícia e o Conselho Tutelar depois de ter recebido um vídeo do acusado em que ele aparece estuprando a filha de 7 anos, com a ajuda da esposa que segura a criança para que o crime seja cometido. O caso foi descoberto na quarta-feira (15).

Quando a polícia chegou a residência não encontrou os pais, que fugiram e agora são procurados. Os irmãos foram encontrados em situação precária, em uma casa suja e sem comida. Não há informação de quanto tempo as vítimas foram abandonadas. Eles foram levados para um abrigo.

Os irmãos de, 13, 12, 7 e 4 anos foram levados pelo Conselho Tutelar e ouvidos na delegacia. A menina de 7 anos confirmou que era estuprada pelo pai, mas não soube precisar a quanto tempo o crime acontecia dizendo que o último abuso ocorreu em dezembro de 2019. O celular do pai não foi encontrado.

Mas, a polícia apreendeu o celular do adolescente de 13 anos, que deve passar por perícia. Inicialmente nada foi encontrado no aparelho. Os irmãos estavam fora da escola desde o ano passado e eram ameaçados pelo pai, caso contassem a alguém o que acontecia. O casal foi indiciado por estupro, abandono intelectual e ameaça.

Mais notícias