Homicídios mais que dobram em Campo Grande durante a pandemia

Em contrapartida, roubos, furtos e acidentes diminuíram

O número de homicídios dolosos mais do que dobrou durante o período da pandemia em Campo Grande, aponta relatório apresentado pela Sesdes (Secretaria Municipal de Segurança e Defesa Social). Entre os dias 21 de março e 31 de julho, quando tiveram início as medidas de prevenção ao coronavírus (Covid-19) na cidade, foram registrados 48 mortes violentas.

O número é 104,8% maior do que os 21 homicídios registrados no mesmo período do ano passado. O número de feminicídios manteve-se o mesmo do ano passado, com quatro casos. Em contrapartida, no mesmo período o número de acidentes de trânsito com vítima caiu 49,1%, passando de 220 para 112. 

Também houve redução nas ocorrências de: lesão corporal dolosa, caindo de 1.195 para 888 (-25,7%); tentativa de homicídio, de 57 para 53 (-3%); violência doméstica, caindo de 2.307 para 1.982 (-14,1%); roubos, de 1.715  para 995 (-42%); furtos caíram de 5.706 para 4.027 (-29,4%).

Em nota, a Guarda Civil Municipal, que tem realizado operações frequentes, afirmou que especialmente no que diz respeito aos acidentes, roubos e furtos, a redução na incidência é reflexo dos trabalhos de fiscalização e patrulhamento ostensivo realizados com apoio da Polícia Militar, Polícia Civil e outros órgãos de fiscalização.

Homicídios mais que dobram em Campo Grande durante a pandemia
Mais notícias