Gerente de cassino na fronteira é presa em investigação sobre quádrupla execução

Uma das vítimas seria funcionária do cassino

O fiscal da Polícia Nacional do , Álvaro Rojas, informou em entrevista há uma rádio local que a gerente do Casino Guarani foi presa nesta quinta-feira (26) em desdobramentos da investigação que apura a execução de quatro homens na fronteira, em Pedro Juan Caballero, município que fica na linha internacional com Ponta Porã, a 330 quilômetros de Campo Grande. O objetivo da prisão é descobrir os motivos pelos quais ela não denunciou o sequestro. No estabelecimento, que seria de , foram colhidas imagens de câmeras de segurança.

O crime estaria ligado uma ofensiva do PCC (Primeiro Comando da Capital) na disputa pelo controle do tráfico de armas e drogas na região.  Até o momento, as vítimas dessa ‘guerra’ foram identificadas são Riad Salem, Felipe Bueno, Muriel Correia e Gustavo, sem sobrenome divulgado. Segundo informações apuradas pela reportagem, dois deles teriam parentesco com , um dos líderes do narcotráfico na fronteira. Outro seria funcionário do cassino.

Equipes do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a a Banco e Resgate a s e Sequestros), do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), além de equipes do Batalhão de Choque foram enviadas à fronteira para reforçar a segurança. Mais cedo, houve tentativa de assalto e um bandido foi morto em confronto.

Um policial foi atingido de raspão. Outras equipes já estariam de sobreaviso para o reforço na fronteira. Desde terça-feira (24) já foram seis pessoas sequestradas na região de fronteira e informações que as vítimas já estariam mortas.

Gerente de cassino na fronteira é presa em investigação sobre quádrupla execução
Mais notícias