Em quarentena, furto de cabos deixa 105 leitos do Hospital São Julião sem água

Hospital é retaguarda das outras unidades de saúde no tratamento de pacientes com coronavírus

O furto de cabos do Hospital São Julião, em Campo Grande, saída para Cuiabá, deixou cerca de 105 leitos sem água. O hospital é retaguarda para as outras unidades de saúde que estão tratando de pacientes com coronavírus (Covid-19). Foram furtados cerca de 200 metros de cabos.

O diretor administrativo do hospital, Amilton Fernandes Alvarenga, disse ao Jornal Midiamax que o furto dos cabos aconteceu no fim da tarde desta quarta-feira (25), já que o alarme do reservatório que abastece todo o complexo hospitalar tocou por volta das 20 horas, quando o nível de água chegou ao mínimo. Por dia, o hospital usa em torno de 200 mil litros de água e a capacidade de reservatório é de 250 mil litros,.

“Quando o alarme tocou e fomos ver o que havia acontecido nos deparamos com a situação de que haviam furtado os cabos”, disse o diretor que afirmou que o hospital teve de comprar um caminhão pipa para abastecer o hospital, e que outros dois foram enviados pela concessionária de água até que o problema seja resolvido, no fim da tarde desta quinta-feira (26). Foram levados cerca de 200 metros de cabos.

Em quarentena, furto de cabos deixa 105 leitos do Hospital São Julião sem água
Cerca de 200 metros de cabos foram furtados (WhatsApp)

O hospital tem 105 leitos, com sua ocupação atual em 90%, além de 300 funcionários divididos em turnos. “Foi pedido para que racionalizem a água até que tudo seja resolvido”, disse o diretor.

Em quarentena, furto de cabos deixa 105 leitos do Hospital São Julião sem água
Mais notícias